Depois do Qatar, coronavírus leva ao adiamento do GP Tailândia de MotoGP

É a segunda corrida do Mundial de motociclismo a ser adiada devido à doença.

O GP da Tailândia foi adiado
Foto
O GP da Tailândia foi adiado Reuters/DAVID W CERNY

O Grande Prémio de motociclismo da Tailândia, marcado para 22 de Março, foi adiado devido ao novo coronavírus, um dia depois da corrida de abertura do Mundial de MotoGP, no Qatar, ter sido cancelada, anunciou nesta segunda-feira a entidade organizadora da corrida.

“Precisamos primeiro de nos concentrar na pandemia. Devemos adiar a corrida hoje até novo aviso”, disse o vice-primeiro-ministro tailandês, Anutin Charnvirakul, também responsável pela pasta da saúde.

O MotoGP da Tailândia realiza-se no circuito de Buriram (centro).

Várias equipas que disputam o campeonato do mundo de motociclismo de velocidade, em que participa o português Miguel Oliveira, são italianas, como a Ducati e a Aprilia, bem como muitos pilotos, como Andrea Dovizioso, Danilo Petrucci, Francesco Bagnaia, Valetino Rossi e Franco Morbidelli.

No domingo, a organização do campeonato tinha já anunciado o cancelamento da corrida de abertura do Mundial de MotoGP, prevista para o Qatar, devido à epidemia de Covid-19.

A decisão afectou apenas a categoria rainha no Grande Prémio do Qatar, explicou a Dorna, empresa promotora do campeonato, em comunicado, assinado também pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM) e pela associação de equipas.

As provas das categorias inferiores, de Moto2 e Moto3, deverão decorrer como previsto, pois as equipas já estavam naquele país do Médio Oriente, devido aos testes de pré-temporada que ali se realizaram durante o fim-de-semana.

“As autoridades do Qatar não deixam entrar no país ninguém que viaje a partir de Itália. Estivemos até à última hora a tentar tudo, mas não foi possível”, explicou o presidente da FIM, o português Jorge Viegas, em declarações à agência Lusa.

O Qatar decidiu colocar em quarentena por 14 dias todos os passageiros provenientes de Itália ou que tenham estado naquele país transalpino nas últimas duas semanas: “Desta forma, não é possível haver corrida”, observou Jorge Viegas, até porque seis dos 22 pilotos do campeonato são italianos, bem como muitos dos elementos que compõem as diversas equipas.

“Fecharam o Qatar a pessoas da China, Irão, Coreia do Sul e Itália”, explicou o responsável máximo da FIM, acreditando que os prejuízos decorrentes desta decisão serão, “sobretudo, desportivos”.

Também na Fórmula 1 já foi cancelado o Grande Prémio da China, devido ao surto do novo coronavírus.

A epidemia de Covid-19, que teve origem na China, em Dezembro de 2019, já infectou mais de 86 mil pessoas em 53 países de cinco continentes, das quais morreram cerca de três mil.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.

Sugerir correcção