Costa anuncia empreitadas de 11 milhões de euros para construir faixas de contenção de fogos

Primeiro-ministro defendeu que “prevenir o risco de incêndio é uma missão que o Estado” e anunciou que a obra vai arrancar pois já tem “finalmente o visto do Tribunal de Contas”.

António Costa presidiu às cerimónias do Dia Internacional da Protecção Civil em Loulé
Foto
António Costa presidiu às cerimónias do Dia Internacional da Protecção Civil em Loulé LUSA/LUÍS FORRA

O primeiro-ministro anunciou este sábado que estão a decorrer em todo o país empreitadas no valor de 11 milhões de euros para executar o plano nacional de construção de faixas de interrupção de risco de incêndios.

“Prevenir o risco de incêndio é uma missão que o Estado tem e, agora que temos finalmente o visto do Tribunal de Contas, já estão em curso em todo o país, um conjunto de empreitadas de forma a construir e executar o plano”, disse António Costa, ao discursar no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Protecção Civil, em Quarteira, no Algarve.

Na opinião do primeiro-ministro, compete “a todos os cidadãos e todos os dias” actuar para prevenir os riscos de incêndios”. E considerou: “É da responsabilidade de todos prevenir esse risco. Não podemos estar todos à espera que quando a tragédia acontece, chamemos por aqui D’El Rei, rezemos a Santa Bárbara ou reclamemos pelo meio aéreo que não chega, o bombeiro que não aparece ou exigimos a qualquer agente da Protecção Civil aquilo que a todos nós nos compete fazer.”

Na opinião do primeiro-ministro, “foi muito importante que toda a comunidade tivesse tido consciência de que era fundamental fazer o esforço de limpar à beira das vias de comunicação, em torno das habitações, em torno de cada aldeia, de cada vila ou de cada aglomerado urbano”. E acrescentou: “Mas, é muito importante por as coisas terem corrido melhor em 2018 e em 2019 que ninguém se esqueça de que o risco não desapareceu. Por isso temos limpar os matos de forma a prevenir o risco de incêndio em 2020.”

António Costa presidiu às cerimónias do Dia Internacional da Protecção Civil que decorreram no concelho de Loulé, onde inaugurou duas infra-estruturas da ANEPC, o CREPC do Algarve, situado na cidade de Loulé, e a Base de Apoio Logístico (BAL) em Quarteira. As novas instalações do CREPC vão agregar o comando de operações de emergência, protecção civil e socorro, a coordenação institucional e operacional da estrutura regional da Protecção Civil, o comando integrado de todos os corpos de bombeiros e a gestão de meios e recursos de emergência.

A BAL vai apoiar as operações de emergência, protecção e socorro, com capacidade de armazenamento de equipamento, abastecimento e parqueamento de meios de reforço, bem como a instalação de uma força de resposta imediata dos bombeiros municipais de Loulé, com valências de socorro, combate a incêndios e emergência médica.