Coronavírus: estudantes portugueses de viagem em Itália ficam em casa uma semana

Grupo de estudantes e professores do Colégio Marista de Carcavelos regressa na sexta-feira de viagem de finalistas.

Foto
EPA/TINO ROMANO

Um grupo de estudantes e professores do Colégio Marista de Carcavelos, que está neste momento numa viagem de finalistas em Itália, vai ficar afastado das aulas por uma semana como medida de prevenção face a uma possível infecção com o novo coronavírus.

O grupo partiu para Itália na pausa lectiva de Carnaval e tem regresso marcado a Lisboa nesta sexta-feira. “Dada a proliferação do vírus Covid-19 nesse país nos últimos dias, a Direcção do Colégio Marista de Carcavelos definiu, como medida preventiva, que os alunos e professores participantes nesta viagem retomarão as aulas a partir do próximo dia 9 de Março”, anunciou a instituição em comunicado.

Alunos e professores deviam voltar às aulas na próxima segunda-feira, 2 de Março. Com esta medida, a direcção do colégio dá uma semana ao grupo que participa na viagem para se manter afastado das aulas e perceber a evolução do seu estado de saúde, dando tempo para os sintomas se manifestarem e levitando o contágio dos colegas que não foram a Itália, país onde o coronavírus já infectou mais de 450 pessoas e fez 12 vítimas mortais.

Contactada pelo PÚBLICO, a associação de pais do Colégio Marista de Carcavelos diz não existirem, “de momento, razões para preocupações particulares relacionadas com esta matéria”, revelando estar a manter contacto constante com a direcção do estabelecimento de ensino para acompanhar a evolução da situação.

Esta quinta-feira, o primeiro-ministro António Costa referiu que uma vez que “não temos nenhum caso [confirmado em Portugal], não se justifica, por exemplo, estar a encerrar escolas ou qualquer medida do género” e sublinhou que é necessário evitar alarmismo. Ainda assim, lembrou uma sugestão do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues: “Nas férias da Páscoa, talvez fosse recomendável evitar-se viagens para zonas onde já se verificou haver casos ou para o estrangeiro.”

Também a Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (Dgeste) aconselha “ponderação” na realização de visitas de estudo.

Em comunicado divulgado na sua página online, a Dgeste refere que “face às notícias sobre a propagação do vírus Covid- 19 e, apesar de não haver ainda por parte das autoridades de saúde restrições de deslocação para fora do país, a Dgeste aconselha a ponderação sobre a oportunidade e conveniência de se realizarem visitas de estudo e outras deslocações ao estrangeiro, em particular a países ou a zonas com maior incidência de casos de infecção”.

Sugerir correcção