No Carnaval brasileiro vale tudo, menos assediar

As brasileiras estão fartas que o clima de festa seja usado como desculpa para comportamentos abusivos. A sociedade multiplica as campanhas contra a masculinidade tóxica e as instituições, conservadoras por natureza, tentam acompanhar.

Fotogaleria
"Bloco" de Carnaval de rua no centro de São Paulo EPA/Fernando Bizerra
Fotogaleria
EPA/Marcelo Sayão
Fotogaleria
EPA/Fernando Bizerra
Fotogaleria
Reuters/WASHINGTON ALVES
Fotogaleria
Reuters/WASHINGTON ALVES
Fotogaleria
Reuters/WASHINGTON ALVES

Os vestígios de serpentinas e confetti assinalam o caminho na direcção do “trio eléctrico” que já desce a rua Augusta, em São Paulo. Para trás ficam homens e mulheres com enormes sacos a recolher o lixo, varredores de rua, e ainda alguns vendedores de cerveja. Por onde eles andam passaram poucos minutos antes milhares e milhares de pessoas a dançar, sambar e a beber ao ritmo de grandes êxitos do funk e do pop brasileiro que soam nas colunas.