Future Print Club: estas t-shirts de designers internacionais ajudam ONG

O Future Print Club nasceu em Almada e vende t-shirts de designers internacionais para ajudar organizações não-governamentais. A ideia é “mudar o mundo para melhor e usar o design como uma ferramenta boa”.

Fotogaleria
Vera Marmelo
Fotogaleria
Bruno Days
Fotogaleria
Bruno Days

Usar o design para “mudar o mundo para melhor” é o mote do Future Print Club, um projecto que vende t-shirts de designers internacionais e cujo lucro reverte para uma organização não-governamental (ONG) à escolha do artista. A iniciativa partiu do estúdio colaborativo de design Humana, em Almada, liderado por Ana Abreu e Tiago Narciso, num processo “espontâneo”.

“Durante o Verão de 2019 começámos a falar porque conhecíamos imensos designers conceituados na indústria e queríamos fazer alguma coisa com eles”, conta Ana Abreu, em entrevista ao P3. Decidiram, então, “usar o design como uma ferramenta boa”.

As t-shirts, de algodão orgânico, são vendidas online através da plataforma britânica Everpress, com a qual o Humana já tinha colaborado. “Não queríamos estar a usar materiais que fossem prejudicar [a causa]”, explica Ana. Pelo modelo de negócio da Everpress, também só se preparam as t-shirts quando termina a pré-venda. “Deste modo, não há desperdício.”

Vera Marmelo
Bruno Days
Fotogaleria
Vera Marmelo

Só após apresentado o projecto e a proposta é que os artistas escolhem as ONG a apoiar. O lucro da t-shirt é atribuído na totalidade à instituição, com excepção dos custos de produção da Everpress.

Segundo o estúdio Humana, é a Continental Clothing Co. quem fabrica as t-shirts. A empresa tem produção no Bangladesh, na China, na Índia e na Turquia e assegura “um salário digno, contratos legais e condições que promovem a saúde e segurança dos trabalhadores, não recorrendo a trabalho infantil nem a trabalho forçado”.

São as gerações mais jovens que “têm a capacidade de fazer algo bom pelo planeta”, acredita a designer. As encomendas estão a chegar “um pouco de todo o mundo, até porque os designers [das t-shirts] estão em todos os continentes”.

A serem lançadas de forma faseada, em colecções de cerca de dez padrões, todos os meses, Ana Abreu prevê que o projecto seja para “continuar, sendo sucessivamente melhorado”. Uma segunda colecção já a ser preparada, com dez novos artistas confirmados. As primeiras t-shirts do Future Print Club podem ser encomendadas até ao fim de Fevereiro, por 30 euros. Entre as ONG seleccionadas estão as portuguesas AgroBio (t-shirt desenhada pelo estúdio Humana) e Laço (t-shirt da designer Marta Veludo).