Torne-se perito

Cristiano Ronaldo iguala recorde na Série A

Na próxima jornada, no grande jogo da ronda 26, frente ao Inter, o português poderá tornar-se o jogador que marcou em mais jornadas consecutivas na história da Liga italiana.

Ronaldo celebra em Ferrara, frente à SPAL
Foto
Ronaldo celebra em Ferrara, frente à SPAL Reuters/ALBERTO LINGRIA

Juventus em primeiro lugar, SPAL em último. Os extremos da Liga italiana tocaram-se neste sábado e, como se esperava, deu triunfo da Juventus (1-2). Também como se esperava, Cristiano Ronaldo voltou a marcar, algo que faz há 11 jornadas consecutivas.

Este registo é um recorde na Série A, em igualdade com Batistuta (1994) e Quagliarella (2019) – ainda que, nesta sequência, Ronaldo tenha feito mais golos do que o argentino e o italiano. Isto equivale a dizer que, na próxima jornada, no grande jogo frente ao Inter, Ronaldo poderá ser, sem dividir a honra com ninguém, o jogador que marcou em mais jornadas consecutivas na história da Liga italiana.

Em Ferrara, num duelo do norte de Itália, a Juventus acabou por enfrentar uma SPAL com intenção de discutir o jogo. O “lanterna-vermelha” da Série A foi muito rematador – na primeira parte, mais até do que a Juventus –, mas, do lado contrário, o nível dos executantes fez a diferença.

Logo aos 5’, Ronaldo introduziu a bola na baliza, mas o golo foi invalidado por fora-de-jogo. Aos 37’, Dybala acertou no poste e, depois de Cionek ter atirado pouco acima da barra da baliza da Juventus, Cuadrado assistiu Ronaldo, com um cruzamento rasteiro, e o português, no local certo, só teve de “encostar”. Com esta finalização, Ronaldo, para além do recorde já abordado, chegou aos 21 golos no campeonato e está a cinco de Immobile, da Lazio.

Com o jogo desbloqueado, a segunda parte foi diferente. Menos dividida, teve uma Juventus empenhada em “matar” o jogo, algo que Cuadrado e Ramsey não conseguiram, aos 56’ e 58’. Pouco depois, o galês teve nova oportunidade, criada por Dybala – grande jogo do argentino, com muita qualidade técnica –, mas, desta vez, não falhou, “picando” por cima do guarda-redes da SPAL.

Aos 69’, uma indicação do VAR permitiu ao árbitro descortinar um penálti cometido por Rugani sobre Missiroli. Enlouqueceu Maurizio Sarri, treinador da Juve, e converteu Petagna, curiosamente numa fase em que a SPAL até parecia menos capaz de dar réplica à Juventus.

Os minutos seguintes foram de pressão da SPAL, frente a uma Juventus de linhas mais baixas, mas sem engenho para ultrapassar a defensiva de Turim. Nota ainda para um livre-directo que Ronaldo enviou à trave da baliza adversária, falhando o 1-3 que descansaria a equipa de Sarri.

Sugerir correcção