N./Unsplash
Foto
N./Unsplash

Ponta Delgada cria roteiro de geocaching para reforçar ligação com a natureza

Um roteiro de geocaching para fomentar a ligação com a natureza e o “conhecimento e informação”. O projecto foi apresentado esta quinta-feira e enquadra-se no programa do município que quer promover Ponta Delgada como um “destino turístico de actividades”.

Foi apresentado, esta quinta-feira, 20 de Fevereiro, um roteiro de geocaching, organizado pela Ponta Delgada Geotour. “[Este é] o esforço que estrategicamente temos vindo a fazer para combater contemplação ignorante, porque o geocaching é um elemento de conhecimento, com certeza de uma actividade de ligação com a natureza, mas também de conhecimento e informação”, afirmou José Manuel Bolieiro, presidente da câmara de Ponta Delgada. 

O geocaching é uma actividade desportiva em que se usa um GPS para procurar caixas escondidas, com cerca de seis milhões de praticantes no mundo e 50 mil em Portugal. O autarca afirmou sentir “enorme satisfação” e “grande expectativa” em relação ao Ponta Delgada Geotour, constituído por 50 caixas distribuídas pelas 24 freguesias do concelho da ilha de São Miguel, nos Açores.

Segundo José Manuel Bolieiro, este projecto enquadra-se na estratégia do município que procura “promover Ponta Delgada” como um “destino turístico” de actividades. O autarca referiu ainda que a autarquia é parceira “desde há muito” das actividades de geocaching e salientou que o projecto agora lançado permite a entrada de Ponta Delgada no “roteiro mundial” da actividade.

“[Quero expressar] gratidão pelos nossos parceiros que estão a desenvolver este trabalho com sucesso mundial e internacional e, portanto, ficamos no roteiro mundial do geocaching com a afirmação do nosso projecto geotour”, frisou.

A sessão contou com a intervenção de Daniel Oliveira, revisor de earthcaches (um tipo específico de caches, que são tarefas geológicas e não caixas físicas), em mais de 25 países. Daniel Oliveira considerou o geotour de Ponta Delgada como uma “iniciativa muito importante particularmente para o turismo”. “Não é uma forma diferente de fazer turismo, é uma forma diferente de apoiar o turismo e de descobrir lugares”, destacou.

O vulcanólogo de profissão e praticante da actividade, descreveu-a como a “maneira mais fácil” de conhecer os “cantinhos mais escondidos” das localidades: “A maneira mais fácil de facto de conhecer os cantinhos mais escondidos da terra é ir fazendo [os geotours] e encontrar uma cache, porque de certeza que estará num local emblemático”, afirmou.

O roteiro da Ponta Delgada Geotour passa pelas zonas das Sete Cidades, Ferraria, Lagoa do Canário, Rocha da Relva ou por outros espaços de interesse turístico, como igrejas, jardins e áreas da cultura do ananás e da produção de tabaco. As localizações das caches podem ser encontradas no site Ponta Delgada Geotour.

Sugerir correcção