Com aval de Bolsonaro, polícias deixam governadores brasileiros como “reféns”

O Ceará foi palco de episódios de violência inéditos protagonizados por agentes da Polícia Militar em greve. Há mais de dez estados onde a insurreição pode chegar.

Estado do Ceará
Fotogaleria
LUSA/Jarbas Oliveira
Fotogaleria
LUSA/Jarbas Oliveira
Fotogaleria
LUSA/Jarbas Oliveira
,São Paulo
Fotogaleria
LUSA/Jarbas Oliveira

Sobral, uma cidade no interior do estado do Ceará (Nordeste brasileiro), devia estar a preparar-se para o Carnaval, mas nas ruas o ambiente dos últimos dias aproxima-se mais de uma insurreição que de uma celebração. Grupos de pessoas com a cara tapada vandalizaram carros da Polícia Militar (PM), ocuparam edifícios da polícia, ordenaram o encerramento de lojas e até decretaram um toque de recolher obrigatório. Na quarta-feira, o senador Cid Gomes – que tal como o irmão, o ex-candidato presidencial Ciro Gomes, é conhecido por ferver em pouca água – decidiu subir a uma retroescavadora para invadir um quartel da polícia que estava ocupado. Foi alvejado duas vezes e só não morreu por um acaso.