Torne-se perito

Trump critica Óscar para Parasitas e o actor Brad Pitt

Discursando para uma multidão durante uma acção de campanha, o Presidente dos EUA foi sarcástico, mostrando não ter gostado que o Óscar de Melhor Filme tivesse sido entregue a uma obra da Coreia do Sul.

,Coreia do Sul
Foto
Elenco do filme "Parasitas", vencedor de quatro Óscares, almçoam com o Presidente sul-coreano Moon Jae-in KIM HONG-JI / EPA

Durante uma acção de campanha no Colorado, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi sarcástico com a recente vitória nos Óscares de Parasitas, o filme sul-coreano de Bong Joon-Ho.

Aquele que um dia afirmou que o seu filme preferido era Força Destruidora, com Jean-Claude Van Damme, manifestou-se perplexo por uma obra numa língua estrangeira, com legendas, ter ganho os principais prémios, arrecadando quatro Óscares.

Quando discursava à multidão, Trump inquiriu-a nos seguintes termos: “A propósito, quão maus foram os Óscares, viram?”, para de seguida colocar-se ironicamente no papel de apresentador da cerimónia. “E o vencedor é: da Coreia do Sul!”. “O que raio foi aquilo?”, interrogou. “Já temos problemas suficientes com a Coreia do Sul no comércio e, agora, é-lhe atribuído o prémio de melhor filme do ano.” E acrescentou. “Foi bom? Não sei”, manifestando nostalgia dos tempos em que os Óscares premiavam filmes como E Tudo O Vento Levou, de 1940, e O Crepúsculo dos Deuses, de 1950, que descreveu como exemplos de “grandes filmes.”  

“Pensei que era o Melhor Filme Estrangeiro, certo? Mas não. Foi o melhor... Alguma vez isto aconteceu?”, continuou, numa alusão que parece indiciar que se Parasitas tivesse vencido na categoria de Melhor Filme Estrangeiro seria, apesar de tudo, aceitável. Recorde-se que foi a primeira vez que um filme de língua não-inglesa venceu a categoria principal de Melhor Filme. Entretanto, a Neon, a distribuidora americana do filme, reagiu quase de imediato nas redes sociais: “É compreensível. Ele nem sabe ler”, escreveram.

Também alvo de crítica por parte de Trump foi o actor Brad Pitt, que recebeu o Óscar de melhor actor secundário, em Era uma vez...em Hollywood, realizado por Quentin Tarantino. “E depois tivemos o Brad Pitt. Nunca fui grande fã dele. Levantou-se e fez uma graçola. É pouco inteligente!, expressou Trump. Recorde-se que quando subiu ao palco, para o discurso de agradecimento, o actor mencionou, por breves instantes, o processo de impeachment. “Disseram-me que só tinha 45 segundos aqui, o que são 45 segundos a mais do que o Senado concedeu a John Bolton esta semana”, afirmou, ironicamente, Brad Pitt, nessa ocasião.