Portugueses pagam 10 mil euros na Suíça para terem assistência no suicídio

Sete portugueses consumaram o seu suicídio assistido na Dignitas, na Suíça, nos últimos dez anos. A Pegasos, outra associação criada em Agosto, em Basileia, tem “entre três a cinco portugueses” entre os seus membros. A quota é de 100 euros por ano, o suicídio assistido custa 10 mil euros.

Público
Foto
Nelson Garrido/Arquivo

Nos últimos dez anos, sete portugueses pagaram 10 mil euros para poderem cometer suicídio assistido na Suíça, mais concretamente na associação “Dignitas – Viver com dignidade, morrer com dignidade”. De acordo com os responsáveis desta associação suíça – onde a eutanásia não é permitida, mas o suicídio assistido sim, dispensando, aliás, intervenção médica -, houve um português a deslocar-se à Suíça para morrer em 2009, dois em 2012, um em 2014 e, depois de dois anos de intervalo, os restantes três recorreram aos serviços da instituição a um ritmo de um por ano, nos últimos três anos.