China destaca “progresso visível” no combate ao novo coronavírus. Número de mortos ultrapassa os 2000

No Japão, já começou o desembarque do cruzeiro Diamond Princess, terminando a quarentena que começou a 3 de Fevereiro.

Foto
Em Pequim, um homem desinfecta um caixote do lixo Reuters/CARLOS GARCIA RAWLINS

O Presidente da China defendeu esta quarta-feira que as medidas aplicadas pelas autoridades chinesas, para travar a propagação do novo coronavírus, estão a alcançar um “progresso visível”, num “momento crucial” da crise que paralisou o país. 

Xi Jinping afirmou, numa conversa por telefone com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que “graças a esforços árduos”, existem “mudanças positivas” no combate ao surto e “as medidas de prevenção e controlo da China estão a alcançar progressos visíveis”, de acordo com a agência de notícias oficial Xinhua.

“Desde o início do surto, a China deu prioridade à segurança e à saúde do seu povo, recorreu às suas vantagens institucionais e mobilizou todo o país, adoptando medidas abrangentes, rigorosas e completas de prevenção e controlo”, defendeu o líder chinês.

Segundo a agência, Xi agradeceu à rainha Isabel II de Inglaterra e a Johnson pelo apoio dado “na luta” da China contra o surto do Covid-19, observando que Londres enviou material médico para a China, o que “demonstra a amizade entre os dois países e os dois povos”.

Nas primeiras semanas após o início da crise, à medida que milhões de pessoas foram colocadas sob quarentena e o número de infectados aumentava em dezenas de milhares, as referências ao Presidente chinês desapareceram dos meios oficiais e a liderança chinesa passou a assumir uma postura colectiva, com o primeiro-ministro, Li Keqiang, a assumir o grupo de trabalho encarregado de lidar com o surto.

Durante a conversa com Johnson, Xi Jinping disse que a China “está confiante” de que atingirá as metas deste ano para o desenvolvimento económico e social, sobretudo a eliminação da pobreza extrema, um marco simbólico, numa altura em que o Partido Comunista Chinês, que governa o país desde 1949, celebra cem anos desde a fundação.

Começam a desembarcar passageiros do Diamond Princess no Japão

Já terminou o período de isolamento para os passageiros do navio Diamond Princess, atracado ao sul de Tóquio. A quarentena começou a 3 de Fevereiro, depois de ter sido detectado um caso de infecção com Covid-19 a bordo. O desembarque começou pelas 11h locais (2h em Lisboa) e ao longo do dia, as autoridades prevêem a saída de cerca de 500 passageiros, sempre e quando o resultado das análises realizadas seja negativo para o coronavírus. A operação de desembarque vai prolongar-se até sexta-feira.

PÚBLICO -
Foto

A bordo do Diamond Princess chegaram 3711 pessoas, 2666 passageiros, de meia centena de nacionalidades, e 1045 tripulantes.

Até terça-feira à noite, o resultado das análises feitas a 542 pessoas a bordo do navio deu positivo. Além destes casos no cruzeiro, foram detectados 61 infectados com o Covid-19 no país, de acordo com o último balanço. Os infectados no Diamond Princess foram levados para centros médicos. Alguns passageiros com análises negativas foram já repatriados.

As autoridades japonesas vão continuar a vigiar o estado de saúde de todas as pessoas que deixaram o cruzeiro, incluindo aquelas que apresentaram análises negativas.

Mais de 2000 mortos só na China

O número de mortos na China devido ao novo coronavírus subiu para os 2.004, depois de as autoridades de saúde terem registado 136 novas mortes. Só na China, os novos casos de infecção ascendem aos 1749 infectados. De acordo com o mais recente balanço da Comissão Nacional de Saúde da China, já são mais de 74 mil infectados no território. 

Além das vítimas mortais no continente chinês, há a registar um morto na região chinesa de Hong Kong, um nas Filipinas, um no Japão, um em França e um em Taiwan.

Sugerir correcção