Saliva Diva: “espelho de um underground mais universal”

Nova editora do Porto, nascida no estúdio Quarto Escuro, já tem confirmado três lançamentos. A estreia foi com O Manipulador. Haverá ainda Conferência Inferno dia 25 e no Outono o segundo de Baleia Baleia Baleia.

Foto
paulo pimenta

“Não sendo definida por estilos, todas as bandas que fizerem parte da Saliva Diva vão poder tocar no mesmo dia sem parecer incoerente”, é assim que Manuel Molarinho define a editora que fundou com Ricardo Cabral no início do ano. A estreia foi com Doppler, quarto álbum de O Manipulador, mas já há mais dois lançamentos confirmados para 2020.

Sugerir correcção
Comentar