,Ladj Ly
Renaud Konopnicki

Ladj Ly tem Victor Hugo e a banlieue no sangue

Filho de imigrantes do Mali, onde também nasceu, vem refinando as suas skills desde jovem ao documentar e vigiar as interacções entre a polícia e os habitantes de Montfermeil, o subúrbio parisiense onde vive. Onde Victor Hugo escreveu Os Miseráveis. É desse património que se faz a sua primeira longa, Prémio do Júri em Cannes, um dos mais nomeados para os Césares, o candidato francês aos Óscares e um sucesso no mercado francês.

Quando o francês Ladj Ly apresentou a sua primeira obra de ficção, Les Misérables/Os Miseráveis, em Cannes 2019, onde recebeu o Prémio do Júri ex-aequo com Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, muitos pensaram que aquele realizador tinha aparecido do nada. Não podia estar mais longe da verdade. 40 anos, filho de imigrantes do Mali, onde também nasceu, Ladj Ly vem aperfeiçoando e refinando as suas skills desde jovem ao documentar as interacções entre a polícia e os habitantes de Montfermeil, o subúrbio parisiense onde ainda vive.