Correntes d’Escritas, um festival em modo catalão

Quando era editora, publicou Valter Hugo Mãe em Espanha. É a primeira mulher à frente do Institut Ramon Llull, que quer modernizar, com várias iniciativas. Uma delas é a presença catalã no festival Correntes d’Escritas que começa esta quarta-feira.

Piano jogador
Foto
Iolanda Batallé, editora e escritora, publicou em catalão e castelhano a obra de Valter Hugo Mãe

Foi no Verão passado que nasceu a ideia de o Institut Ramon Llull coordenar a participação catalã na 21.ª edição do festival Correntes d’ Escritas, o encontro de escritores de expressão ibérica que tem a sua cerimónia de abertura, às 11h desta quarta-feira, no Casino da Póvoa de Varzim. Onde além do anúncio do vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa, no valor de 20 mil euros, será lançada a revista oficial do evento neste ano dedicada à escritora Hélia Correia. De tarde, às 15h, o arquitecto Álvaro Siza fará a conferência de abertura do festival, intitulada A Arquitectura e outras Artes, seguida de uma conversa com o jornalista José Carlos Vasconcelos no Cine-Teatro Garrett.