Primeiro caso de eutanásia levado a julgamento na Bélgica termina com absolvição

Os familiares de uma mulher de 38 anos denunciaram os três profissionais de saúde envolvidos na administração da eutanásia, acusando-os de não terem esgotado todos os tratamentos para a sua doença.

Foto

Um tribunal da cidade belga de Ghent pôs fim ao primeiro caso de criminalização da prática da eutanásia desde que a morte medicamente assistida foi autorizada pelo Parlamento da Bélgica, em 2002, com a absolvição dos três profissionais de saúde que estavam acusados de homicídio culposo por executarem o pedido de uma mulher de 38 anos que sofria de depressão.