Coronavírus: Chanel cancela desfile em Pequim

“Em primeiro lugar estão a saúde e o bem-estar das equipas e clientes”, diz a casa de moda parisiense que, para já, não revelou nova data para o evento.

Momento do Métiers d'art 2018/19, em Nova Iorque
Foto
Momento do Métiers d'Art 2018/19, em Nova Iorque Caitlin Ochs/Reuters

A Chanel cancelou o desfile que tinha agendado para realizar na China, em Maio, devido ao surto de coronavírus, informou esta terça-feira a casa de moda francesa.

“Considerando a situação actual e seguindo as orientações das autoridades chinesas, a Chanel decidiu adiar o seu projecto de realizar uma réplica da colecção Métiers d'Art 2019/20 Paris – 31 rue Cambon em Pequim, para um momento posterior e mais apropriado”, explica o comunicado, onde a maison frisa que “em primeiro lugar estão a saúde e o bem-estar das equipas e clientes”. Para já, não há nova data para a realização do evento.

A China é um mercado importante e rentável para grandes empresas da indústria da moda, como a Chanel (cujos proprietários são os irmãos multimilionários franceses Alain e Gérard Wertheimer)​, LVMH, Kering e Burberry. As empresas de luxo já enfrentam um impacte nas vendas por causa do surto de coronavírus, à medida que fecham lojas na China e arquivam campanhas publicitárias naquela que é a segunda maior economia do mundo.

A Gucci e outras marcas de luxo propriedade da Kering disseram, na semana passada, que esperavam menos pessoas nos seus desfiles deste mês, com os compradores e influenciadores chineses a prepararem-se para faltar ao grande evento de marketing do conglomerado francês.

Os eventos em território chinês, onde se registam quase 99% dos casos identificados de coronavírus (72.509 de 73.336), entretanto designado de SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, têm vindo a ser cancelados ou adiados. Até à data, morreram 1874 pessoas, o que representa uma taxa de mortalidade de 2,5%.

Além desta iniciativa da Chanel, foi adiado o salão do automóvel da China, previsto para decorrer entre 21 e 30 de Abril, um dos maiores eventos internacionais do sector, e o Grande Prémio da China, prova de Fórmula 1 que se realizaria no circuito de Xangai a 19 de Abril e que permitiu o regresso de Ímola ao calendário da modalidade. Já o festival de arte contemporânea Art Basel Hong Kong foi cancelado — a próxima edição realiza-se em 2021, entre os dias 25 e 27 de Março.


Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as nossas notificações e esteja a par da evolução do novo coronavírus.

Sugerir correcção