Quaresma solidário com Marega. “Também eu já fui, várias vezes, vítima de racismo”

“Também eu já fui, várias vezes, vítima de racismo dentro e fora de campo. A cor da pele ou a raça do jogador não podem ser argumentos para ofender e tentar desconcentrar um jogador de futebol”, escreve o internacional português.

,Jogador de futebol
Foto
Reuters/MURAD SEZER

O futebolista Ricardo Quaresma está solidário com o maliano Marega, jogador do FC Porto vítima de racismo. “Gostava de expressar toda a minha solidariedade para com o Marega. Também eu já fui, várias vezes, vítima de racismo dentro e fora de campo”, lamenta o jogador internacional português numa publicação na rede social Facebook.

O avançado, de 36 anos, salienta que “a cor da pele ou a raça do jogador não podem ser argumentos para ofender e tentar desconcentrar um jogador de futebol” e que “o racismo não pode ter lugar” na sociedade, sendo “um crime que deve ser punido”.

No domingo, Marega pediu para ser substituído ao minuto 71 do jogo da 21.ª jornada da I Liga, entre o FC Porto e o Vitória de Guimarães, depois de ter sido alvo de cânticos e gritos racistas por parte de adeptos da equipa minhota. Vários jogadores do FC Porto e do Vitória de Guimarães tentaram demovê-lo, mas Marega mostrou-se irredutível na decisão de abandonar o jogo, numa altura em que os “dragões” venciam por 2-1, resultado com que terminou o encontro.

Sugerir correcção