“Cuidem de mim, não me matem”. Assunção Cristas pede referendo à eutanásia em post no Facebook

A antiga líder do CDS-PP abordou a questão da eutanásia pela primeira vez depois de ter saído do Parlamento.

,CDS - Partido do Povo
Foto
Cristas falou pela primeira vez sobre o tema desde que abandonou o Parlamento LUSA/PAULO NOVAIS

Foi através das redes sociais que Assunção Cristas quebrou o silêncio sobre a questão da eutanásia. A ex-líder do CDS-PP apelou a que se leve o assunto a referendo, demonstrando estar contra os cinco projectos de lei que vão a debate e votação na Assembleia da República na próxima quinta-feira. “Cuidem de mim, não me matem”, escreveu no Facebook. 

“Desculpem, mas não compreendo a urgência. Nem compreendo que quem não se quis comprometer num programa eleitoral sufragado em Outubro queira agora vedar a possibilidade de ouvir todos os portugueses sobre um tema tão estruturante da nossa vida colectiva”, escreveu Cristas, esta sexta-feira, naquela que é a primeira manifestação sobre o tema da eutanásia desde que, no final de Janeiro, abandonou o Parlamento.

A antiga líder dos centristas, substituída no cargo por Francisco Rodrigues dos Santos, admite estar perplexa “pela repentina reintrodução do tema da eutanásia” em Portugal. “Deixem ao menos que as pessoas percebam o que está em causa e se pronunciem, sem pressa e sem pressões”, apela já na parte final da mensagem.

 “Não conseguimos executar aquilo em que estamos de acordo - a universalização do acesso aos cuidados paliativos ou a execução prática de um efectivo estatuto do cuidador informal - e quer o Parlamento, com rapidez, legislar sobre um tema que nem mereceu uma linha nos programas eleitorais dos partidos mais votados: Partido Socialista e Partido Social Democrata”, questiona.

Assunção Cristas posiciona-se, assim, ao lado de outras figuras da Direita, como Cavaco Silva ou Pedro Passos Coelho, que durante esta semana assumiram estar contra a descriminalização da eutanásia. 

Na próxima quinta-feira, vão a debate e votação na Assembleia da República cinco projectos de lei sobre o tema, por parte do PS, Bloco de Esquerda, PAN, PEV e Iniciativa Liberal, todos no sentido da despenalização. Um grupo de cidadãos está a recolher assinaturas para a realização do referendo e conta com o apoio da Igreja Católica. O actual líder dos centristas, Francisco Rodrigues dos Santos, assumiu que o partido votará a favor de um referendo sobre a despenalização da eutanásia, caso dê entrada uma iniciativa de cidadãos com as assinaturas necessárias.

Sugerir correcção