Procurador-geral pede a Trump que use menos o Twitter, e que não torne o seu trabalho “impossível”

Tensão entre o Departamento de Justiça e a Casa Branca levou à saída de quatro procuradores no caso de Roger Stone, amigo e colaborador de Donald Trump. Esta sexta-feira, soube-se que um dos principais alvos das críticas do Presidente norte-americano não vai ser acusado.

William Barr foi escolhido pelo Presidente Trump para suceder a Jeff Sessions, despedido em 2018
Foto
William Barr foi escolhido pelo Presidente Trump para suceder a Jeff Sessions, despedido em 2018 Reuters/Joshua Roberts

O procurador-geral norte-americano, William Barr, acusou o Presidente Donald Trump de tornar o seu trabalho “impossível” com as críticas públicas ao Departamento de Justiça. Numa entrevista que pode fazê-lo cair em desgraça junto de Trump, Barr tentou afastar as acusações de falta de independência em relação à Casa Branca no final de uma semana atribulada, e marcada pelo despedimento de duas testemunhas do impeachment.