Sanders vence no New Hampshire e Biden afunda-se cada vez mais

Pete Buttigieg repete o bom resultado do Iowa, mas tem agora a companhia de Amy Klobuchar na luta pelo centro do Partido Democrata. Sanders teve 26% dos votos (cerca de 71.400) e Buttigieg teve 24,4%.

Foto
Bernie Sanders confirmou o favoritismo das sondagens LUSA/KATHERINE TAYLOR

O senador Bernie Sanders venceu as eleições primárias do Partido Democrata no estado norte-americano do New Hampshire com 26% dos votos, confirmando o favoritismo das sondagens e o seu estatuto de figura principal na ala mais à esquerda do partido. Mas os bons resultados de dois candidatos do centro, Pete Buttigieg (24,4%) e Amy Klobuchar (19,7%), mostram que os eleitores estão ainda longe de se unirem à volta de um nome para enfrentar Donald Trump nas eleições presidenciais de Novembro.

Numa corrida com oito candidatos em campanha activa, ninguém esperava que Sanders dominasse as primárias do New Hampshire, este ano, de uma forma tão evidente como o fez em 2016 – nessa altura, o senador do Vermont recebeu 60% dos votos e deixou Hillary Clinton a 22 pontos percentuais de distância. “Este é o início do fim de Donald Trump”, reagiu Bernie Sanders, de 78 anos, perante os apoiantes em New Hampshire. 

Enquanto eram contados os votos, Bernie Sanders era o mais votado. E teve uma outra boa notícia: Elizabeth Warren, a sua grande rival nas primárias do Partido Democrata numa luta muito particular pela liderança da ala progressista, ficou na 4.ª posição, com 9,4%.

Ainda que Warren queira manter-se na corrida, pelo menos até à Superterça-Feira de 3 de Março – quando 14 estados vão a votos no mesmo dia –, começa a ser difícil explicar aos eleitores mais à esquerda que caminho vai fazer a sua campanha para travar Bernie Sanders e outros candidatos.

Em jogo no New Hampshire estão apenas 24 delegados dos 1991 necessários para uma nomeação como candidato do Partido Democrata à Casa Branca, mas as escolhas feitas nas duas primeiras votações, no Iowa e no New Hampshire, são importantes para definir os favoritos.

A grande oposição ao favoritismo de Bernie Sanders vem do centro do Partido Democrata, com Pete Buttigieg a repetir o bom resultado da votação no Iowa e Amy Klobuchar a superar todas as expectativas.

O antigo presidente da câmara de South Bend, no Indiana, seguia em 2.º lugar, logo atrás de Sanders, com 23% dos votos, dando continuidade ao seu bom momento.

Ainda assim, não conseguiu reforçar a ideia de que é ele o candidato de que o eleitorado centrista precisa para derrotar Bernie Sanders nas primárias e enfrentar Donald Trump nas eleições gerais. A senadora do Minnesota Amy Klobuchar juntou-se a Pete Buttigieg nessa luta, ficando em 3.º lugar no New Hampshire com 19,7% – muito acima dos 11% que as sondagens lhe davam.

Klobuchar, 59 anos, foi impulsionada nos últimos dias por uma boa prestação no debate de sexta-feira, num estado com mais de 40% de eleitores independentes e que costuma fazer as suas escolhas à última hora.

O grande derrotado da noite foi, mais uma vez, o antigo vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden, que até há poucas semanas era apontado como o grande favorito a vencer a corrida pela nomeação.

Depois de ter ficado em 4.º lugar no caucus do Iowa, há uma semana, Biden ficou em 5.º no New Hampshire (8,4%) e tem a vida cada vez mais difícil nas primárias do Partido Democrata.

Antecipando um mau resultado nesta terça-feira, o candidato viajou para a Carolina do Sul ainda antes da contagem dos votos – é lá, no Sul do país, que espera reanimar a sua campanha nas primárias de 29 de Fevereiro, apostando no apoio do eleitorado afro-americano.

Falta saber se os apoiantes e doadores financeiros se mantêm ao seu lado até lá, ou se vão começar a olhar para Pete Buttigieg ou Amy Klobuchar nos próximos dias como possíveis antídotos para as propostas mais à esquerda de Bernie Sanders.

As primárias no New Hampshire serviram também para tirar mais dois candidatos da corrida. Andrew Yang e Michael Bennett anunciaram na noite desta terça-feira que estão fora da corrida.

Quanto aos restantes candidatos, é provável que a congressista Tulsi Gabbard (3,2%) siga o caminho de Yang e Bennett nos próximos dias ou semanas. Pelo contrário, o multimilionário Tom Steyer (3,6%) deverá manter-se na corrida apesar dos maus resultados no Iowa e no New Hampshire (foi 7.º no Iowa e 6.º no New Hampshire).

No dia 3 de Março, a luta pela nomeação – que por agora está centrada em Sanders, Buttigieg e Klobuchar – terá mais um candidato com a entrada em cena de outro multimilionário, o antigo presidente da câmara de Nova Iorque Michael Bloomberg.