Preço dos combustíveis impulsiona recuperação da inflação

Taxa de inflação passou de 0,4% para 0,8% em Janeiro. País deixou de ser o que tem variação de preços mais baixa dentro da zona euro

Combustível
Foto
Nuno Ferreira Santos

A taxa de inflação homóloga em Portugal voltou a subir no arranque deste ano, abandonando a cauda da Europa, com o principal contributo a vir da subida de preços mais elevada nos combustíveis para automóveis.

De acordo com os dados definitivos publicados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a variação dos preços em Portugal face ao mesmo período do ano anterior passou, em Janeiro, de 0,4% para 0,8%.

Foi a terceira subida consecutiva registada na taxa de inflação homóloga, afastando este indicador dos valores negativos que apresentou entre Julho e Setembro do ano passado.

A nova aceleração dos preços agora registada aconteceu com o contributo decisivo dos combustíveis. Segundo o INE, foi na classe de produtos dos Transportes que se verificou a mais elevada taxa de inflação homóloga, que passou de 1,8% em Dezembro para 3% em Janeiro. E dentro desta classe, a aceleração de 4,2% para 7,7% da inflação nos “combustíveis e lubrificantes para equipamento para transporte pessoal” foi a que mais contribuiu para o resultado.

Não é de espantar por isso que a taxa de inflação subjacente, aquela que exclui da análise os produtos alimentares não transformados e energéticos (os com preços mais voláteis), se tenham mantido inalterada entre Dezembro e Janeiro nos 0,4%.

Outro indicador que tem apresentado, de forma consistente, crescimentos elevados é o das rendas de habitação (medidas pelo preço por metro quadrado). Em Janeiro registou-se uma estabilização face a Dezembro, com a taxa de inflação homóloga deste serviço a ficar nos 3,4%. O INE refere ainda que a região de Lisboa é a aquela que apresenta um valor mais elevado (4,1%).

Num cenário de inflação persistentemente baixa em toda a zona euro, o que tem levado o BCE a oferecer estímulos monetários à economia para evitar o risco de deflação, Portugal tem nos últimos meses estado em particular destaque. No final de 2019 foi mesmo o país a registar uma taxa de inflação mais baixa.

Mas agora, com a subida de Janeiro, já supera neste indicador pelo menos um país, o Chipre, sendo que para vários países ainda não são conhecidos os dados finais da inflação de Janeiro. No total da zona euro, de acordo com os dados preliminares do Eurostat, a taxa de inflação homóloga passou de 1,3% em Dezembro para 1,4% em Janeiro.

Sugerir correcção