Políticos, académicos e artistas unidos pela Nossa Europa

Nasceu uma plataforma cívica para pôr fim ao desconhecimento da UE em Portugal. Marcelo Rebelo de Sousa tem direito a uma apresentação pessoal.

Foto
Carlos Coelho, do PSD, foi deputado europeu de 1998 a 2019

O Presidente da República tem direito, esta terça-feira, a uma apresentação pessoal de um projecto inovador em Portugal. Chama-se Nossa Europa e é uma plataforma de cidadania-pró-europeia, composta por personalidades da política, da ciência, das artes, da academia e outras organizações da sociedade civil que estão interessadas em “aumentar a literacia europeia, promover o debate e suscitar a participação das pessoas”, como explicará um dos seus fundadores, o ex-eurodeputado Carlos Coelho, que vai ser recebido por Marcelo Rebelo de Sousa esta terça-feira à tarde no Palácio de Belém.

Como se pode ler no site da plataforma www.nossaeuropa.eu, o objectivo passa por “proporcionar boa informação” sobre os assuntos ligados à União Europeia e assim fazer “despertar a participação cívica”, numa lógica “pedagógica”, que não interfere nem se substitui à acção dos partidos políticos ou dos sindicatos e que, segundo Carlos Coelho, é totalmente alheia ao calendário dos ciclos eleitorais.

“Este tipo de organizações ou movimentos são comuns em vários países mas não em Portugal, onde ainda há um afastamento grande em relação à Europa. Por isso, resolvemos formar uma associação de cidadãos, com sensibilidades políticas muito diversas, para defender este projecto comum”, justificou ao PÚBLICO o antigo parlamentar europeu, que tem a seu lado, como fundadores da plataforma, as actuais eurodeputadas Maria Manuel Leitão Marques e Marisa Matias, o ex-comissário europeu Carlos Moedas e vários antigos governantes, caso de Pedro Mota Soares, António José Seguro, Leonor Beleza, Nuno Severiano Teixeira e Luís Marques Mendes.

No núcleo original encontram-se ainda Rui Tavares, Paulo Sande, Raquel Vaz Pinto, Paula Vaz Freire, Rui Marques e Luís Represas, entre outros. No primeiro dia de vida da plataforma, além da apresentação institucional e da audiência com Marcelo Rebelo de Sousa, será ainda realizada a primeira assembleia para a eleição dos órgãos directivos e do conselho superior.

No plano de actividades da Nossa Europa figuram já várias iniciativas que Carlos Coelho descreve como “projectos farol”. Um deles passa pela edição de um Dicionário da Cidadania, onde se poderão encontrar explicações para palavras ou expressões jurídicas, legislativas, económicas ou políticas que preenchem o discurso público. “Hoje em dia o cidadão é confrontado com um jargão técnico que não é evidente, e este dicionário será uma ferramenta a que os mais curiosos poderão aceder para o decifrar”, refere Carlos Coelho.

Além deste dicionário, está prevista a edição de vários suportes de material pedagógico para acompanhar um ciclo de conferências — uma “Volta da Cidadania” — que serão realizadas em estabelecimentos de ensino do nível básico, secundário e superior.

A plataforma também vai arrancar brevemente com a produção de pequenos filmes para promover o conhecimento da Constituição e assim assinalar o 45.º aniversário da adopção do texto fundamental. O projecto intitula-se “45 conceitos, 45 personalidades”, e passa pela divulgação de um filme por semana, até ao mês de Abril de 2021.