Foto

Quatro projectos portugueses nomeados para Edifício do Ano 2020 do ArchDaily

A plataforma de arquitectura revelou os nomeados para o Edifício do Ano 2020. Spaceworkers, Rem’a e Aires Mateus são os ateliers portugueses que estão na corrida. Votações até 17 de Fevereiro.

As votações para o Edifício do Ano 2020 do ArchDaily estão abertas e há quatro edifícios com assinatura portuguesa na lista de finalistas. O concurso, promovido pelo site internacional de arquitectura, contou com mais de quatro mil submissões de projectos — e foram os leitores que escolheram os cinco favoritos de cada uma das categorias, entre os quais figuram projectos de ateliers portugueses.

O Centro de Interpretação do Românico, desenhado pelos arquitectos do Spaceworkers, é um dos finalistas da categoria Arquitectura Pública. Em Abril de 2019, Rui Dinis, um dos arquitectos responsáveis pelo desenho do Centro de Interpretação do Românico, contava ao P3 como o edifício foi pensado para ser “a unidade dentro da diversidade”, sendo simultaneamente o ponto de partida e chegada para os visitantes da Rota do Românico.

PÚBLICO -
Foto
O Centro de Interpretação do Românico Nelson Garrido

A Casa A, do gabinete Rem’a, está nomeada para a categoria que distingue a melhor aplicação de materiais. Trata-se de uma habitação na periferia de Guimarães, que tem como principal característica a privacidade. A estrutura monolítica foi “revestida a madeira, com as réguas na diagonal, numa alusão simples a um ninho que envolve a zona privada da casa”, explicou Romeu Ribeiro ao P3, em Dezembro de 2019.

PÚBLICO -
Foto
Casa A Ivo Tavares Studio

O atelier Aires Mateus, sediado em Lisboa, conta com duas nomeações: a Casa em Monsaraz, na categoria Casas, e o Atelier Cecílio de Sousa, nomeado para Arquitectura Interior. A Casa Monsaraz, construída ao largo do Alqueva, conta com um “pátio protegido e simultaneamente aberto sobre a água”, descreve o gabinete no ArchDaily. “Os espaços dos quartos abrem-se sobre espaços circulares” e “a escala da casa nesta vasta paisagem natural será a dos pátios e do calote superior, únicos elementos visíveis, pintados de um branco luminoso.”

PÚBLICO - Atelier Cecílio de Sousa
Atelier Cecílio de Sousa Rui Cardoso/DR
PÚBLICO - Casa em Monsaraz
Casa em Monsaraz João Guimarães/DR
Fotogaleria
Rui Cardoso/DR

Já o Atelier Cecílio de Sousa, que consiste numa obra de reabilitação, é “uma operação que põe em evidência o existente, recupera e estabelece leituras sobre uma realidade”. Os principais elementos são as pinturas, azulejos e estruturas espaciais principais.

A votação está aberta até dia 17 de Fevereiro e pode ser feita no site do ArchDaily. “A votação democrática do concurso Edifício do Ano é um dos pilares da nossa resposta aos desafios e uma tentativa de derrubar hierarquias e barreiras geográficas estabelecidas”, lê-se no site.