L’Incendie II, de Vieira da Silva, arrematada em leilão por quase dois milhões de euros

Obra de 1944 foi esta terça-feira a leilão em Londres com uma base de licitação de 1,4 milhões de euros.

L’Incendie II é uma das três pinturas que Vieira da Silva faz em 1944, já exilada no Rio de Janeiro
Foto
L’Incendie II é uma das três pinturas que Vieira da Silva faz em 1944, já exilada no Rio de Janeiro CORTESIA: SOTHEBY'S

A pintura L’Incendie II, ou Le Feu (1944), de Maria Helena Vieira da Silva, foi arrematada nesta terça-feira em Londres por 1,635 milhões de libras (1,939 milhões de euros), num leilão promovido pela Sotheby’s. A base de licitação para a obra era de 1,4 milhões de euros.

Uma pintura em tudo muito semelhante a esta, e com o título L’Incendie I, tinha sido vendida pela leiloeira rival, a Christie’s, em Março de 2018, por 2,3 milhões de euros, um valor-recorde para a pintora portuguesa.

L’Incendie II foi uma das obras executadas durante a Segunda Guerra Mundial, quando Vieira da Silva foi forçada a deixar Paris e a exilar-se no Brasil, uma vez que o marido, Arpad Szenes, era judeu. Na tela surge uma cidade em chamas, os seus habitantes confinados a casas engolidas pelo fogo, e uma coluna de soldados.

É uma das 22 pinturas produzidas pela artista portuguesa durante o exílio brasileiro, e uma das três feitas em 1944, ano que é um momento alto para a carreira de Vieira da Silva, e que é marcado pela sombra e pela introspecção perante um mundo em guerra.

O valor alcançado esta terça-feira em Londres, não sendo um recorde, comprova a crescente curiosidade que a obra de Vieira da Silva tem vindo a despertar no mercado internacional de arte.