Coronavírus: casos suspeitos em Portugal deram negativo, China soma mais de mil mortes

Análises aos dois doentes em Portugal suspeitos de terem contraído o novo coronavírus tiveram resultado negativo. Entretanto, a China anunciou que morreram já mais de mil pessoas no surto centrado em Wuhan.

,Portugal
Foto
paulo pimenta

Nenhum dos dois casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus (2019-nCoV) detectados em Portugal esta segunda-feira foram confirmados pelas análises, informou ainda durante a noite a Direcção-Geral de Saúde (DGS).

Sob suspeita estava “uma doente regressada da China”, de nacionalidade chinesa e residente em Portugal, encaminhada para o Hospital Curry Cabral, Centro Hospitalar de Lisboa Central”, e “um doente regressado também da China”, de nacionalidade brasileira, que seguiu para o Centro Hospitalar de São João, no Porto. Ambas as unidades são hospitais de referência para estas situações.

Também nos quatro casos suspeitos anteriormente registados — três em Lisboa e um no Porto — as análises tiveram resultados negativos. O primeiro caso suspeito foi o de um homem estrangeiro residente em Portugal que tinha estado na China. No segundo, tratou-se de um técnico italiano que também esteve naquele país e apresentou sintomas suspeitos quando estava numa fábrica de calçado em Felgueiras.

os dois casos suspeitos anteriores a estes diziam respeito a um português residente na Grande Lisboa, que apresentou “sintomas compatíveis com a nova infecção e uma ligação epidemiológica em função do percurso dos últimos dias”, como explicou na altura a directora-geral da Saúde, Graça Freitas. O outro era também homem residente na Grande Lisboa que tinha tido contacto com os cidadãos alemães que adoeceram após terem feito uma formação com uma pessoa chinesa.

O novo coronavírus já infectou mais de 40 mil pessoas e matou 1013 pessoas. Mais de 3000 pessoas recuperaram da infecção. Há apenas duas vítimas mortais fora da China: uma nas Filipinas e outra em Hong Kong. Há 37 casos de infecção reportados na região europeia. Um dos últimos foi em Espanha.

Portugal tem em quarentena voluntária 20 cidadãos que foram repatriados da cidade chinesa de Wuhan, onde o surto epidémico começou. Estão instalados no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, sem apresentarem até ao momento qualquer sinal de doença. As análises que fizeram quando chegaram a Lisboa deram negativas. Os testes serão repetidos quando o isolamento profiláctico de 14 dias estiver próximo do fim.

Desde a semana passada que a DGS, juntamente com outras entidades da saúde, está a reforçar o dispositivo para o caso de poderem aumentar o número de casos suspeitos. Além de Lisboa e Porto, também Coimbra e Faro têm uma ambulância cada dedicada ao transporte de casos suspeitos. Em conferência de imprensa, na semana passada, Graça Freitas explicou que Portugal está a preparar uma segunda linha de acção com 15 a 20 hospitais preparados do ponto de vista laboratorial e de seguimento dos doentes.