Brad Pitt garante que é ele quem escreve os seus discursos

O actor venceu o prémio de Melhor Actor Secundário para Era uma vez... em Hollywood. O prémio foi dedicado aos filhos que tem com a actriz Angelina Jolie.

Fotogaleria
Brad Pitt confessa que os discursos sempre o deixaram nervoso, mas que tem vindo a esforçar-se por melhorar Reuters/Handout .
Fotogaleria
O actor de 56 anos este domingo a receber o Óscar Reuters/ERIC GAILLARD
Fotogaleria
O prémio foi dedicado aos filhos que tem com Angelina Jolie Reuters/ERIC GAILLARD
Fotogaleria
Brad Pitt venceu prémio de melhor actor secundário Reuters/LUCAS JACKSON

Brad Pitt jura que é ele quem escreve os seus discursos para os consecutivos prémios que tem ganho nos últimos meses. Nos bastidores da cerimónia dos Óscares, este domingo, em que se sagrou como Melhor Actor Secundário em Era uma vez… em Hollywood, o ex-marido de Angelina Jolie confessa que tem “alguns amigos engraçados que ajudam com as piadas”, o resto vem “do coração”.

Os discursos de Brad Pitt têm dado que falar nesta temporada de prémios. Recorde-se por exemplo o dos SAG Awards onde confessou estar sóbrio graças a Bradley Cooper. Agora, o actor admite, à Vanity Fair, que as ideias são todas suas. “Sempre fui inseguro quanto aos discursos – deixam-me nervoso. Desta vez, decidi que ia esforçar-me… sou eu que os escrevo.”

No discurso deste domingo, Brad Pitt tomou uma posição política e faz referência ao impeachment de Donald Trump e ao antigo conselheiro de segurança nacional John Bolton, que não chegou a ser chamado para testemunhar. “Disseram-me que só tenho 45 segundos aqui. São 45 segundos a mais do que o Senado deu a John Bolton esta semana. Talvez o Quentin [Tarantino] faça um filme sobre isso”, disse o actor em palco.

No seu discurso, Pitt agradeceu a toda a equipa de Era uma vez… em Hollywood e ao seu realizador, Quentin Tarantino. Este é o segundo Óscar do actor de 56 anos (ganhou um prémio como produtor em 12 Anos Escravo) que admite que esta “tem sido uma ronda [de prémios] muito especial”. “Mais do que tudo, sinto uma enorme responsabilidade – mais do que um triunfo”, confessou o actor.

Pitt recordou também o dia em que os seus pais o ajudaram a carregar o carro para se mudar para a Califórnia e seguir o sonho de ser actor. “Era uma vez em... Hollywood é bem verdade”, alertou o premiado.

Brad Pitt terminou o discurso ao dedicar a estatueta aos filhos, sublinhando que espera que só entrem no “negócio da família” quando tiverem 18 anos. “Quero que sigam os seus talentos, as suas paixões”, concluiu.