Opinião

Vitorino: comendador, comentador e facilitador

Há um padrão que se repete em Portugal: grandes advogados que foram grandes políticos que são grandes comentadores metidos em grandes negócios. Tudo à grande – excepto a ética.

Há dias Nuno Garoupa escreveu um post cristalino no seu Facebook: “Obviamente que em qualquer país do mundo há facilitadores que pressionam para favorecer o privado contra o Estado, facilitadores que pressionam para favorecer o Estado contra o privado e facilitadores que andam pela comunicação social. A originalidade portuguesa é o três em um – de manhã defendem o privado contra o Estado, à tarde defendem o Estado contra o privado e à noitinha ainda sobra tempo para dar umas aulas de ética ao país num espaço televisivo sem contraditório. Orgulho!”