Aprovada suspensão do projecto da linha circular do Metro de Lisboa

PSD, Bloco, PCP, PAN e Chega votaram a favor da proposta do PAN para suspender o projecto, enquanto o CDS e a IL se abstiveram e os socialistas votaram contra.

Foto
Fábio augusto/arquivo

O projecto para a construção da Linha Circular do Metropolitano de Lisboa vai ser suspenso depois de terem sido aprovadas as propostas do PAN e do PCP de alteração ao Orçamento do Estado para este ano. “O Governo procede, durante o ano de 2020, à suspensão do projecto de construção da Linha Circular do Metropolitano de Lisboa”, diz o texto da proposta aprovada.

A suspensão do projecto foi aprovada contra a vontade do PS: na proposta do PAN, o PSD, Bloco, PCP e Chega votaram a favor; o CDS e a Iniciativa Liberal abstiveram-se e os socialistas votaram contra. A proposta do PCP foi aprovada apenas com o voto contra do PS e a abstenção da IL.

Os textos do PAN e do PCP estipulam a suspensão da construção da linha circular e determinam que a prioridade será dada “à expansão da rede de Metropolitano até Loures, bem como para Alcântara e zona ocidental de Lisboa”.

A proposta do PAN vincula ainda o Governo à realização de vários estudos técnicos e de viabilidade económica para uma avaliação comparativa entre a extensão até Alcântara e a Linha Circular” e para a sua expansão prioritária para o concelho de Loures; uma avaliação global custo-benefício, abrangendo as várias soluções alternativas para a extensão da rede para a zona ocidental de Lisboa; um estudo global de mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa, nomeadamente quanto a redes de transportes públicos, ligação de modos de transporte, intermodalidade e interfaces.

Além dos estudos, o Governo terá também que proceder à “urgente contratação dos trabalhadores necessários à manutenção e ao normal funcionamento do Metropolitano de Lisboa, tendo em conta as diversas áreas onde se verifica carência de pessoal”; repor os “materiais necessários à manutenção e reparação do material circulante e dos equipamentos”; fazer obras urgentes nas estações que necessitam de intervenção, principalmente devido às infiltrações; e garantir as “devidas condições de acesso aos utentes com mobilidade reduzida ou condicionada”.

As propostas do PAN e do PCP são a concretização da resolução que a Assembleia da República já tinha aprovado em Julho e que recomendava ao Governo um “efectivo investimento no Metropolitano de Lisboa e um plano de expansão que sirva verdadeiramente as populações, com a suspensão do projecto de expansão da Linha Circular”. Esta recomendação foi aprovada por todos os partidos, à excepção do PS, que se absteve, e foi feita a partir de textos com o mesmo sentido do PSD, PEV, PCP e BE.