OMS diz que coronavírus ainda não é uma pandemia

Responsáveis da OMS falam em “epidemia de informação”. Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há casos de infecção confirmados em 23 outros países.

Foto
Reuters/THOMAS PETER

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou esta terça-feira que a epidemia do novo coronavírus que surgiu na China não é ainda uma pandemia. “Actualmente, não estamos em situação de pandemia”, termo que se aplica a uma situação de disseminação global de uma doença, disse  Sylvie Briand, directora do departamento de preparação global para os riscos infecciosos da OMS.

"Estamos numa fase epidémica com múltiplos surtos”, acrescentou a responsável à imprensa. O termo pandemia é usado para descrever situações em que uma doença infecciosa ameaça muitas pessoas em simultâneo e em todo o mundo.

Sylvie Briand enfatizou também que se verifica actualmente uma “epidemia de informação”, uma “infodemic” que pode dificultar a resposta à epidemia de coronavírus. 

A responsável da OMS recordou que o berço da epidemia foi a província de Hubei, no centro da Cinha. “A transmissão de homem para homem é intensa e as autoridades chinesas adoptaram medidas” para limitar a propagação da doença.

Esperamos que, com base nessas medidas tomadas em Hubei, mas também em outros lugares em que tivemos casos, possamos parar a transmissão e livrar-nos desse vírus”. É um “desafio”, frisou.  “Não estou a dizer que é fácil, mas (...) achamos que é possível”.

A responsável da OMS revelou ainda que estão marcadas reuniões com representantes do sector do turismo para estabelecer medidas de protecção para quem viaja.  

Depois ter declarado na passada quinta-feira o novo coronavírus como uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adopção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial, a OMS lembrou que o uso de máscaras não protege totalmente do vírus, mas acrescentou que quem já estiver infectado não deve dispensar o seu uso.

O novo coronavírus (2019-nCoV), que surgiu em Dezembro passado em Wuhan, capital da província de Hubei, já provocou 427 mortos e infectou mais de 20.400 pessoas.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais casos de infecção confirmados em 23 outros países, segundo a organização.

Sugerir correcção