Governo dá até 4800 euros a quem for viver para o interior

A linha de financiamento vai ser aberta até Março deste ano, segundo a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

Foto
ALDEIAS HISTÓRICAS DE PORTUGAL

Os trabalhadores que decidam mudar-se para o interior do país, bem como os estudantes que iniciem aqui a sua vida profissional, vão passar a ter direito a um apoio que começa nos 2600 euros, mas que pode ir até aos 4800 euros, adiantou esta segunda-feira a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

Antecipando-se à apresentação do programa Trabalhar no Interior, a governante explicou à TSF que o programa visa apoiar financeiramente, e de forma directa, os trabalhadores que decidam mudar-se para as zonas do interior menos densamente povoadas, desde que celebrem um contrato de trabalho. Os valores oscilarão entre os 2600 e os 4800 euros, consoante as despesas de instalação e transporte, bem como a composição do agregado familiar. 

Esta linha de financiamento deverá ser aberta até Março próximo. E as empresas terão também direito a uma majoração de 25% no apoio à criação de emprego para contratação de desempregados. Na prática, este apoio poderá ascender aos 6500 euros por trabalhador”, segundo a governante. 

De acordo com a mesma lógica de “discriminação positiva”, o Governo propõe-se criar 13 novos centros Qualifica no interior do país, bem como flexibilizar as regras quanto aos cursos de formação que decorrem no interior, nomeadamente quanto ao número mínimo de formandos.