Maioria dos “vistos gold” concentrou-se em Lisboa e Cascais

Governo pretende acabar com as autorizações de residência por investimento nas áreas metropolitanas e em todas as CIM do Litoral. Mas o Porto capta apenas 1% dos “vistos gold” de imobiliário. E Setúbal, por exemplo, teve apenas três vistos gold em cinco anos

Fotogaleria
Maioria dos “vistos gold” concentrou-se em Lisboa e Cascais Rui Gaudencio
Fotogaleria
Porto capta apenas 1% dos “vistos gold” de imobiliário Adriano Miranda / Publico

Dos 7272 “vistos gold” atribuídos até agora pela compra de imóveis de valor idêntico ou superior a 500 mil euros, “a maioria” diz respeito aos “concelhos de Lisboa e de Cascais”. A informação, prestada ao PÚBLICO pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), surge numa altura em que o grupo parlamentar do PS quer mudar a lei em vigor, retirando este tipo de vistos não só da Área Metropolitana de Lisboa (AML) mas também de toda a Área Metropolitana do Porto (AMP) e das Comunidades Intermunicipais (CIM) situadas no litoral.