Crítica

Fúria de viver

Cada geração tem as Mulherzinhas que merece, e que maravilha que a versão de 2019 seja um filme de energia e de emoção arrebatadoras, autenticamente em estado de graça.

,Florence Pugh
Fotogaleria
Mulherzinhas é um pequeno milagre na paisagem formatada dos estúdios americano
,Emma Watson
Fotogaleria
,Emma Watson
Fotogaleria
,Amy March
Fotogaleria
Pequenas mulheres
Fotogaleria
,Jo March
Fotogaleria

Cada geração tem as Mulherzinhas que merece. Durante muitos anos classificado (com condescendência) como clássico da literatura “juvenil” ou “feminina”, o romance de Louisa May Alcott foi adaptado ao cinema em 1933 por George Cukor, com Katharine Hepburn e Joan Bennett; em 1949 por Mervyn LeRoy, com June Allyson, Elizabeth Taylor e Janet Leigh; e em 1994 por Gillian Armstrong, com Winona Ryder, Kirsten Dunst e Claire Danes, para já não falar das incontáveis versões teatrais ou televisivas.