Associação quer fundo de garantia para crianças órfãs de violência doméstica

Terminou consulta pública da Estratégia Nacional para os Direitos da Criança 2019-2022. Várias organizações promotoras dos direitos das mulheres uniram-se para dar um contributo com dimensão de género.

Os direitos das crianças
Foto
Criança a olhar um dos lagos do Parque da Cidade do Porto. Paulo Pimenta

A consulta pública da Estratégia Nacional para os Direitos da Criança 2019-2022 chegou ao fim com 14 documentos e 19 comentários. As associações promotoras dos direitos das mulheres aproveitam a oportunidade para reclamar o estatuto de vítima para as crianças que crescem num contexto de violência doméstica. Uma delas propõe um fundo para crianças órfãs.