A incrível e trágica história dos irmãos Fresco

A 27 de Janeiro de 1945 o Exército Vermelho entrou no campo de concentração alemão de Auschwitz-Birkenau, instalado na Polónia. A data tornou-se símbolo da libertação do horror nazi e é hoje celebrada como o Dia Internacional de Lembrança do Holocausto. Quando passam 75 anos desde a libertação do campo recordamos a história de Michael Fresco, o único português de que há registo de ter estado em Auschwitz. E contamos a história de dois dos seus cinco irmãos que, apesar de viverem em França, como ele, escaparam à deportação.

O email chegou muito cedo, pelas 7h32. Tinham passado dois dias desde a publicação da primeira de duas reportagens sobre os portugueses enviados para campos de concentração nazis, na Segunda Guerra Mundial, e a mensagem era de uma sobrinha-neta de uma das pessoas cuja história era ali contada: Michael Fresco, o único português de quem existe registo de ter estado no campo de concentração e extermínio alemão de Auschwitz-Birkenau, na Polónia. Tinha palavras comovidas de agradecimento, mas também informações novas e muitas perguntas. Foi a primeira janela para perceber melhor a vida daquele judeu nascido em Lisboa, que se mudou para França e morreu em Auschwitz com apenas 30 anos. E também para descobrir que dois dos seus cinco irmãos viviam com ele em França, durante a guerra, mas que ambos tinham escapado à deportação.