Crónica de jogo

Benfica de Lage soma 15.º triunfo consecutivo na Liga

“Encarnados” foram a Paços de Ferreira vencer por 2-0 e aumentam provisoriamente para 10 pontos a vantagem para o FC Porto, que só joga esta terça-feira.

Depois dos dois golos frente ao Sporting, Rafa voltou a marcar em Paços de Ferreira
Foto
Depois dos dois golos frente ao Sporting, Rafa voltou a marcar em Paços de Ferreira LUSA/JOSE COELHO

Bruno Lage continua sem saber o que é perder pontos fora de casa para o campeonato desde que assumiu o banco do Benfica, no início de Janeiro do ano passado. Voltou a ser assim este domingo, em Paços de Ferreira, onde os “encarnados” arrancaram para a segunda volta da competição com um triunfo por 2-0. Rafa Silva voltou a ser a figura do encontro, como em Alvalade, frente ao Sporting, na ronda anterior, apontando um golo e assistindo Vinícius para o segundo.

Os números de Lage no comando da equipa da Luz são cada vez mais surpreendentes na Liga portuguesa. Nas 36 partidas que leva no currículo, divididos por duas temporadas, venceu 34, empatou uma, em casa, frente ao Belenenses SAD – a 11 de Março de 2019 – e perdeu outra, também na Luz, na terceira jornada desta época, frente ao FC Porto, a 24 de Agosto. Fora de casa, ninguém conseguiu travar até agora o “seu” Benfica.

Em Paços de Ferreira, os campeões nacionais somaram o 15.º triunfo da presente época, ampliando para 10 pontos a vantagem para o FC Porto, que tem um jogo em atraso, a disputar na próxima terça-feira, no Dragão, com o Gil Vicente. Uma almofada muito confortável, quando falta apenas mais uma jornada antes das duas equipas medirem forças no Porto (a 8 de Fevereiro), num encontro que promete ser decisivo para a atribuição do título.

Há um ano, o conjunto de Sérgio Conceição comandava o campeonato na abertura da segunda volta, com cinco pontos de vantagem sobre o Benfica, onde Bruno Lage acabara de render Rui Vitória. Com a mudança técnica, as “águias” partiram para uma segunda volta excepcional que lhes valeu o triunfo na prova.

Na realidade, apesar do actual fosso pontual para o rival lisboeta, o FC Porto vai dobrar o campeonato com apenas menos dois pontos do que aqueles que somava na 17.ª jornada há um ano. A grande diferença é mesmo o desempenho do Benfica, que nas 18 rondas já disputadas esta época amealhou mais 13 pontos do que em igual período de 2018-19.

Frente a um conjunto pacense que luta pela sobrevivência na I Liga e que tem vindo a recuperar terreno na tabela classificativa, não tendo sofrido qualquer golo nas anteriores quatro jornadas (tendo surpreendido mesmo o Sp. Braga em casa com um triunfo por 1-0), o Benfica foi pragmático. Cedeu muitas vezes a posse de bola, espreitou frequentemente as transições atacantes e criou várias ocasiões de perigo a partir dos 10’.

A equipa visitante foi crescendo no encontro, procurando o golo em movimentações rápidas pelos flancos, pelo centro e de bola parada. A defesa do Paços passava por sufocos, mas ia adiando o 1-0, procurando jogar o mais possível longe da sua baliza.

Acabou por ser Rafa - que substituiu Chiquinho na frente atacante, regressando à titularidade após um período de lesão – a encontrar a solução. Após um excelente passe do defesa central Rúben Dias, o atacante tirou um adversário da frente e abriu o marcador, aos 39’.

O Benfica saiu para o intervalo em vantagem, mais tranquilo e aproveitou a subida no terreno do Paços – que até tivera mais posse de bola na primeira metade – para lançar um rápido e letal contra-ataque que resultou no 2-0, logo aos 47’. Um passe de Rafa, na direita, foi finalizado por Vinícius ao segundo poste.

O resultado satisfazia os “encarnados” que quebraram muito o ritmo do encontro, jogando com frieza e sem nunca perder o equilíbrio. O Paços pouco mais pode fazer na sua casa, transformada num mini-Estádio da Luz pelos adeptos adversários.