Francisco Rodrigues dos Santos: “Há mais militantes do que os que já foram ministros, secretários de Estado...”

Francisco Rodrigues dos Santos acusa adversários de o tentarem desqualificar aos olhos do congresso.

Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta

Francisco Rodrigues dos Santos respondeu aos que saíram em defesa dos notáveis do partido, e declararam apoio a João Almeida, e levantou o congresso mais uma vez. “Há mais militantes do que os que já foram ministros, secretários de Estado. O respeito passa por dar a cara pelo CDS”, disse. “Quem respeita mais o congresso do CDS: quem se preocupa em desqualificar o outro, ou os outros que vêm apresentar pela positiva? Não o fizemos por oposição a ninguém”, disse, tendo sido recebido com aplausos de pé.

O líder da JP falou da sua intenção em agregar, mesmo os que o criticam. “Quero unir mesmo os que hoje vieram fazer críticas, mesmo os que dizem que sou jovem”, disse, repetindo uma frase do ex-líder Manuel Monteiro: “Não se preocupem que [a juventude] passará com o tempo”.

Francisco Rodrigues dos Santos defendeu que a sua solução “é a que faz síntese de todas as alternativas concorrentes”, prometendo “estar” com João Almeida, se ganhar a moção, e de “trabalhar” com Filipe Lobo d’Ávila.

O líder dos “jotas” afastou o retrato que considera estar a ser feito de si próprio: “Não adianta diabolizar-me. O partido conhece-me, estive disponível para ajudar o CDS”. E rematou com uma declaração emotiva: “Eu amo o meu partido, sou um filho do meu partido”.