Imagem ilustrativa
Foto
Imagem ilustrativa Trust "Tru" Katsande/Unsplash

Dez mil euros para investigar o tipo de leucemia aguda mais comum nas crianças

A bolsa de investigação em leucemia linfocítica aguda vai apoiar projectos de um ano em instituições portuguesas. Candidaturas fecham a 15 de Março.

São dez mil euros para investigar o tipo de leucemia aguda mais comum nas crianças. A bolsa quer pôr investigadores a estudar a leucemia linfocítica aguda (LLA), de forma a “aumentar o conhecimento sobre esta doença, o diagnóstico, o tratamento, a monitorização e a qualidade de vida dos doentes”.

Os projectos de investigação a concurso devem ser apresentados por investigadores a desenvolver projectos em instituições portuguesas; ter o prazo de um ano e devem ser passíveis de serem desenvolvidos numa instituição portuguesa. O objectivo da primeira bolsa da Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) e da Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH), em parceria com a Amgen Biofarmacêutica é “financiar a investigação científica e/ou epidemiológica em Leucemia Linfocítica Aguda”.

“A LLA atinge 20%-30% das crianças com cancro, representando aproximadamente 25% dos diagnósticos em crianças menores de 15 anos. É o tipo de leucemia aguda mais comum na população pediátrica, representando cerca de 75-80% dos diagnósticos, e é responsável pela maioria das mortes por cancro em crianças”, diz em comunicado a Associação Portuguesa Contra a Leucemia

“Serão encorajados projectos de carácter interdisciplinar e a colaboração e parceria entre várias instituições”, lê-se no regulamento do concurso. As candidaturas terminam a 15 de Março e devem ser enviadas por email (para [email protected]), em português e inglês.