Ryanair ganha ao fisco e evita IVA das raspadinhas em Portugal

Tribunal arbitral conclui que os famosos cartões do lotto são vendidos pela casa-mãe na Irlanda e não pela sucursal. Ryanair associou venda ao “braço” português e invocou isenção de IVA, mas, após uma inspecção, mudou de versão.

Foto
Miguel Feraso Cabral

A sucursal da Ryanair em Portugal ganhou um processo à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) num tribunal arbitral, um meio alternativo de resolução dos litígios, conseguindo ver anuladas correcções de IVA relativas às famosas raspadinhas vendidas a bordo de alguns voos da companhia irlandesa em 2014, 2015 e 2016.