Campeões ingleses e europeus de râguebi despromovidos para a segunda liga

Clube desrespeitou regras sobre limite máximo da massa salarial durante três épocas consecutivas. É agora penalizado por prejudicar competitividade da liga.

O clube festejou o título europeu em maio.
Foto
O clube festejou o título europeu em maio. Reuters/LEE SMITH

Os campeões em título da Premiership, os Saracens, vão ser despromovidos da primeira divisão inglesa de râguebi no final da época por terem quebrados as regras sobre o limite máximo da massa salarial, anunciou a liga no sábado.

Os Saracens, que já tinham aceitado uma dedução de 35 pontos, estão no final da tabela da Premiership com -7 pontos, apesar de terem vencido sete dos seus oito jogos e de já terem conseguido quatro pontos de bónus.

Os media britânicos anunciaram na sexta-feira que o clube iria perder mais 35 pontos e que já teria aceitado a decisão.

O clube foi sancionado por quebrar o limite de 7 milhões de libras de salários por três épocas consecutivas, durante as quais ganharam dois títulos.

“Estamos preparados para tomar decisões difíceis para impor o regulamento que garante uma competição justa entre os nossos clubes”, disse Darren Childs, director executivo da Premiership Rugby, em comunicado. “Foi decidido que os Saracens serão despromovidos.”

O clube, que dominou a nível doméstico e na Europa nos últimos cinco anos com quatro títulos da Premiership e cinco europeus, vai jogar no Championship na próxima época. Mesmo que mantenha o título europeu, não lhes será permitido defenderem-no na próxima temporada.

“Reconheço que o clube cometeu erros no passado e pedimos desculpa sem reservas por esses erros”, disse Neil Golding, que assumiu o cargo de presidente no mês passado. “Eu e o resto da direcção estamos empenhados em supervisionar medidas rigorosas de gestão para garantir que o clube respeita as regras no futuro.”

A queda dos Saracens terá com certeza impacto nos jogadores internacionais do clube. Seis jogaram pela Inglaterra contra a África do Sul em Novembro, na final do Campeonato do Mundo, em Yokohama.

Outros clubes da Premiership fizeram pressão para que os Saracens fossem castigados, mas o director executivo do Exeter, Tony Rowe, diz que este não é um desfecho satisfatório. “Vamos ser muito honestos antes que as pessoas comecem a ter pena dos Saracens”, disse à BBC Radio Devon. “Eles tinham duas opções: podiam mostrar as contas para que a Premiership Rugby fizesse uma auditoria forense, ou podiam aceitar a despromoção. A escolha foi deles.”