Sete ideias para sair esta semana

Do Minho a Querença, há petiscos para provar, heróis em jogo e outras práticas para incluir na história.

,Tubarão cinzento
Fotogaleria
Tubarões no Sea Life Porto DR
SEA LIFE Center Porto
Fotogaleria
Tubarões no Sea Life Porto DR

PORTO
Águas de super-heróis

De 1 de Janeiro a 29 de Fevereiro
Sea Life Porto

O Sea Life Porto abriu 2020 a chamar os mais pequenos a uma aventura de descoberta dos poderes das criaturas marinhas. Poderes como “a rapidez dos tubarões, a tenacidade da estrela-do-mar, a adaptabilidade do polvo, o metabolismo do cavalo-marinho ou a força do caranguejo”, lê-se no convite. Super-Heróis Subaquáticos é um jogo que transforma qualquer visita num mergulho em desafios sobre o mundo animal. Atenção: exigem “força, velocidade, concentração e inteligência”, avisa o aquário portuense.
Horário: das 10h às 18h (até às 19h ao fim-de-semana e nos feriados).
Bilhetes a 9,50€ (dos três aos 12 anos) e 13,95€ (maiores de 12 anos); grátis para crianças com menos de três anos

 

PÚBLICO -
Foto
Chanfana Ricardo Silva

VILA NOVA DE POIARES
Chanfana universal

De 10 a 20 de Janeiro

Primeiro, amacia-se a carne de cabra velha em vinho tinto. Depois, cozinha-se no forno a lenha, em caçoilos de barro preto. Manda a tradição que assim seja confeccionado um prato que se tornou um ex-líbris da gastronomia de Vila Nova de Poiares – tanto que o lugar reclama para si o título de Capital Universal da Chanfana. É aqui que está a decorrer a 15.ª Semana da Chanfana, timbrada pela respectiva confraria (sediada na vila) e pronta a receber dez mil apreciadores. Não só está na ementa de nove restaurantes do concelho – ao lado de outras iguarias como negalhos, trouxa cabreira ou o doce poiarito – como inspira o comércio local, que decora as montras para a ocasião, e a dúzia de artistas plásticos que compõem A Cozinha É Cultura, no Centro Difusor de Artesanato. Outra exposição serve Memórias à Mesa no Centro Cultural, onde também está um mercado de produtos de artesanato e endógenos.
Nos restaurantes A Grelha, As Medas, A Tina do Bosque, Brasa Kente, Dom Dinis, Dona Elvira, O Confrade, Paddock e Portas da Vila

 

PÚBLICO - Festa das Chouriças de Querença
Festa das Chouriças de Querença Câmara Municipal de Loulé
PÚBLICO - Procissão em honra de São Luís
Procissão em honra de São Luís Câmara Municipal de Loulé
Fotogaleria
Câmara Municipal de Loulé

QUERENÇA
Tradição em brasa

Dias 18 e 19 de Janeiro

No interior algarvio, sente-se o aroma a chouriça assada. Vem temperada pela tradição religiosa de honrar São Luís, patrono dos animais, a quem se pedia que protegesse os porcos que haviam de servir de sustento às famílias. Então como agora, é a ele que são “oferecidos” os enchidos da Festa das Chouriças de Querença. Abre no sábado à noite, com uma noite de fados na Casa do Povo. Domingo, começa a degustação. Os restaurantes e bares põem assadores à porta a partir das 11h, enquanto o Largo da Igreja se prepara para o leilão de chouriças, às 16h, antecedido pela actuação do Grupo Coral e Instrumental Costa Azul. Os louvores ao santo têm início uma hora depois, com a eucaristia e a procissão solene. Às 19h, a festa volta à Casa do Povo, onde fecha com um baile. Ao longo de todo o dia, há animação de rua, actividades para crianças, quermesse e uma mostra de artesanato e produtos locais.
Horário: sábado, às 21h; domingo, das 10h às 19h.
Entrada livre
Programa completo aqui.

 

PÚBLICO -
Foto
Festa das Fogaceiras Carla Carvalho Tomás

SANTA MARIA DA FEIRA
Honras a Sebastião e Variações

Dia 20 de Janeiro
Centro histórico

É a São Sebastião que é dedicada a maior e mais antiga festividade religiosa de Santa Maria da Feira: a Festa das Fogaceiras. Nasceu há mais de 500 anos, como ritual para manter a peste ao largo, e é uma das mais expressivas do Norte do país. Está em marcha desde o início (e até ao fim) de Janeiro, mas o ponto alto acontece nesta segunda-feira: cerca de 300 meninas desfilam pelo centro histórico, vestidas de branco e cintas coloridas, de fogaças à cabeça. O desfile está marcado para as 15h30, depois de cumprido, de manhã (às 10h30), o cortejo até à Igreja Matriz para a missa solene e a bênção do pão doce pelo Bispo do Porto. À margem da festa, desenrola-se todo um programa de oficinas artísticas, concursos, visitas guiadas, exposições, teatro e música (mais informações aqui). Neste campo, o destaque vai para Variações Filarmónicas, espectáculo de homenagem a António Variações por músicos de quatro bandas filarmónicas da Feira e convidados (dia 25, às 21h45, no Europarque; bilhetes a 10€).
Horário: a partir das 9h30.
Grátis

 

PÚBLICO - <i>Ca_Minho</i>
Ca_Minho Susana Monteiro
PÚBLICO - <i>Ca_Minho</i>
Ca_Minho Susana Monteiro
Fotogaleria
Susana Monteiro

LISBOA
Teatro à minhota

De 9 de Janeiro a 2 de Fevereiro
Teatro Meridional 

O que é que torna o Minho único? Foi a partir desta questão que o Teatro Meridional se fez ao Ca_Minho, uma peça sobre “a identidade humana, social e cultural do universo minhoto, com particular relevância para a zona do Alto Minho” – região comparada pelo encenador, Miguel Seabra, a “um néctar embriagado sem par”. O desafio veio de Magda Henriques, directora artística das Comédias do Minho, companhia que co-assina a produção. A peça entra para a rota do Projecto Províncias, do Meridional, que já deu Para Além do Tejo, Por Detrás dos Montes e Por Causa da Muralha, Nem Sempre se Consegue Ver a Lua. Tal como estes espectáculos, Ca_Minho faz pouco uso da palavra, em prol da expressão física e da paisagem sonora. Na base está um conto de Marlene Castro, autora natural de Rubiães, Paredes de Coura.
Horário: quarta a sábado, às 21h30; domingo, às 16h.
Bilhetes a 12€

 

PÚBLICO -
Foto
Anne Frank DR

SERPA
Memórias para o presente 

Biblioteca Municipal Abade Correia da Serra
De 18 de Janeiro a 29 de Fevereiro

"Um instrumento para reflectir sobre a preservação da liberdade e dos direitos humanos” em nome de “sociedades plurais e justas”. É assim que a Câmara Municipal de Serpa apresenta Anne Frank - Uma História para Hoje. Acabada de chegar à cidade alentejana, como parte das Jornadas Municipais da Educação, é uma mostra documental sobre o Holocausto, a II Guerra Mundial e a tão famosa e trágica história da adolescente que anotou no seu diário os dias passados num anexo-esconderijo de Amesterdão. Há anos em itinerância, a exposição já passou por Oeiras, Viana do Castelo e milhares de outras localidades. Montada mais de 300 vezes por ano um pouco por todo o mundo, é uma produção original do serviço educativo da Casa de Anne Frank, o museu instalado no local onde Anne, a família e outros fugitivos se esconderam do olhar nazi durante mais de dois anos, até serem descobertos, em Agosto de 1944. Anne morreria no ano seguinte, no campo de concentração alemão de Bergen-Belsen, a semanas do fim da guerra.
Horário: terça a sábado, das 10h às 13h e das 14h30 às 17h.
Grátis

 

PÚBLICO - Isto É Partis 2020: <i>Enxoval</i>
Isto É Partis 2020: Enxoval Patrícia Poção
PÚBLICO - Isto É Partis 2020: <i>Estamos Todos no Mesmo Barco</i>
Isto É Partis 2020: Estamos Todos no Mesmo Barco Joaquim Dâmaso
PÚBLICO - Isto É Partis 2020: <i>still</i> do filme <i>Batida de Lisboa</i>
Isto É Partis 2020: still do filme Batida de Lisboa
PÚBLICO - Isto É Partis 2020: projecto Meio no Meio
Isto É Partis 2020: projecto Meio no Meio José Caldeira
PÚBLICO - Isto É Partis 2020: <i>still</i> do filme <i>Djon África</i>
Isto É Partis 2020: still do filme Djon África
PÚBLICO - Isto É Partis 2020: <i>Monstro em Mim</i>
Isto É Partis 2020: Monstro em Mim Márcia Lessa
PÚBLICO - Isto É Partis 2020: Orquestra de Percussão Corporal do Conservatório d'Artes de Loures
Isto É Partis 2020: Orquestra de Percussão Corporal do Conservatório d'Artes de Loures Luís Cândido
PÚBLICO - Isto É Partis 2020
Isto É Partis 2020 Carlos Porfírio
Fotogaleria
Patrícia Poção

LISBOA
Ensaios de inclusão

De 24 a 26 de Janeiro
Fundação Calouste Gulbenkian

A Leirena Teatro fez uma residência artística com reclusos do Estabelecimento Prisional de Leiria. Resultado: Estamos Todos no Mesmo Barco. É um dos espectáculos do Isto É Partis 2020, um encontro de projectos “que criam espaços de liberdade e de aprendizagem permanente, onde se desfazem preconceitos e se ensaia a compreensão e a tolerância”, explica o programa. A maioria foi financiada pelo Partis - Práticas Artísticas para a Inclusão Social, da Gulbenkian. É o caso de Estamos Todos… (sexta, às 19h; sábado, às 16h) e também da iniciativa Meio no Meio, que mostra na Biblioteca de Marvila o trabalho feito em oficinas de dança, teatro, cinema, artes visuais e música (sábado, às 10h30), da peça Monstro em Mim, desenvolvida com jovens do Centro Educativo Navarro de Paiva (domingo, às 15h), e da instalação-performance Enxoval, um bordado comunitário que pretende registar histórias de heroínas da vida real (domingo, das 11h às 18h). Orientada pelo tema Novos Centros de Criação Artística de Hoje, esta edição dá ainda projecção à Orquestra de Percussão Corporal do Conservatório d’Artes de Loures (domingo, às 17h) e aos filmes Batida de Lisboa, de Rita Maia e Vasco Viana (sábado, às 18h30), e Djon África, de Filipa Reis e João Miller Guerra (domingo, às 18h30). Mas, antes de mais, é preciso Arriscar Juntos – tema da conferência internacional que abre a função (sexta, das 10h às 18h).
Programa completo aqui.
Entrada livre (algumas actividades requerem levantamento prévio de bilhete)

 

PÚBLICO -
Foto
Still de Alva

EXTRA: Cinema
Mistério em fuga

Ico Costa estreia-se no formato longa-metragem com Alva, a história de Henrique, um homem simples que comete um crime e foge para a floresta. Baseado em acontecimentos reais, o filme foi rodado entre Oliveira do Hospital, Arganil e Lousã, com actores não profissionais. Chega às salas a 16 de Janeiro.

 

Mais ideias para sair? Por aqui

Guia do Lazer: a sua agenda de espectáculos, exposições, feiras e muito mais