Toby Price, o primeiro a assistir Paulo Gonçalves: “Não havia nada a fazer”

O piloto australiano diz que ficou desidratado “com as lágrimas” após assistir português. Paulo Gonçalves sofreu “lesões graves na cabeça, pescoço e coluna”. A equipa do piloto português abandonou a prova “em profundo luto”.

,Rally
Foto
Reuters

O australiano Toby Price (KTM) revelou que chegou a ficar “desidratado com as lágrimas” pela morte de Paulo Gonçalves, no domingo, na sétima etapa do Rali Dakar de todo-o-terreno, depois de ter sido o primeiro a chegar junto do português.

Numa publicação divulgada na rede social Facebook, o piloto australiano, que foi o primeiro a chegar junto do português, conta que o acidente aconteceu já depois do reabastecimento.

“O Paulo partiu para a etapa cinco minutos antes de mim e o pior aconteceu. Passei um pequeno morro e vi um piloto caído. Era o Paulo. Fui acometido pelos piores receios porque sabia que era sério”, relatou Price.

“Pedi ajuda de imediato e ajudei a colocá-lo de lado. Tentei chamar mais alguém para ajudar e foi quando chegou o [eslovaco] Stefan Svitko [um campeão] e ajudou no que pôde”, explicou ainda.

PÚBLICO - O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer
O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - Paulo Gonçalves inconsciente e em paragem cardio-respiratória, este domingo, na Arábia Saudita. O piloto acabaria por morrer
Paulo Gonçalves inconsciente e em paragem cardio-respiratória, este domingo, na Arábia Saudita. O piloto acabaria por morrer EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - Joaquim Rodrigues reage à morte de Paulo Gonçalves na sétima etapa no Rali Dakar 2020
Joaquim Rodrigues reage à morte de Paulo Gonçalves na sétima etapa no Rali Dakar 2020 EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer
O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer Reuters/HAMAD I MOHAMMED
PÚBLICO - O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer
O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer
O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer Reuters/HAMAD I MOHAMMED
PÚBLICO - O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer
O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer
O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer
O piloto no Dakar 2020, na Arábia Saudita, este domingo, onde acabaria por morrer EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - Paulo Gonçalves na competição de 2020
Paulo Gonçalves na competição de 2020 EPA/ANDRE PAIN
PÚBLICO - Piloto português tinha 40 anos
Piloto português tinha 40 anos DAKAR
PÚBLICO - Paulo Gonçalves era conhecido como <i>Speedy</i> Gonçalves
Paulo Gonçalves era conhecido como Speedy Gonçalves DAKAR
PÚBLICO - Paulo Gonçalves era natural de Esposende
Paulo Gonçalves era natural de Esposende DAKAR
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Dakar 2017, Argentina
Paulo Gonçalves no Dakar 2017, Argentina EPA/DAVID FERNANDEZ
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Dakar 2017, na Argentina
Paulo Gonçalves no Dakar 2017, na Argentina Reuters/RICARDO MORAES
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Dakar 2019, no Peru
Paulo Gonçalves no Dakar 2019, no Peru Reuters/CARLOS JASSO
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Dakar 2019, no Peru
Paulo Gonçalves no Dakar 2019, no Peru EPA/ERNESTO ARIAS
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Dakar 2019, no Peru
Paulo Gonçalves no Dakar 2019, no Peru Reuters/MARIANA BAZO
PÚBLICO - Paulo Gonçalves festeja o segundo lugar no Rali Dakar 2015, na Argentina
Paulo Gonçalves festeja o segundo lugar no Rali Dakar 2015, na Argentina EPA/David Fernandez
PÚBLICO - Paulo Gonçalves festeja o segundo lugar no Rali Dakar 2015, na Argentina, com os seus colegas de equipa
Paulo Gonçalves festeja o segundo lugar no Rali Dakar 2015, na Argentina, com os seus colegas de equipa EPA/FELIPE TRUEBA
PÚBLICO - Verificações técnicas antes do Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina
Verificações técnicas antes do Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina Reuters/MARCOS BRINDICCI
PÚBLICO - Verificações técnicas antes do Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina
Verificações técnicas antes do Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina Reuters/ENRIQUE MARCARIAN
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Abu Dhabi Desert Challenge em 2013
Paulo Gonçalves no Abu Dhabi Desert Challenge em 2013 Reuters/STRINGER
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Dakar Rally 2011, Tucumán, Argentina
Paulo Gonçalves no Dakar Rally 2011, Tucumán, Argentina Reuters/ERIC GAILLARD
PÚBLICO - Paulo Gonçalves antes do início das competições do Dakar 2012
Paulo Gonçalves antes do início das competições do Dakar 2012 JUAN MABROMATA
PÚBLICO - Paulo Gonçalves festeja o segundo lugar no Rali Dakar 2015 em Buenos Aires, na Argentina
Paulo Gonçalves festeja o segundo lugar no Rali Dakar 2015 em Buenos Aires, na Argentina Reuters/ENRIQUE MARCARIAN
PÚBLICO - Paulo Gonçalves depois das verificações técnicas para o Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina
Paulo Gonçalves depois das verificações técnicas para o Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina Reuters/MARCOS BRINDICCI
PÚBLICO - Paulo Gonçalves depois das verificações técnicas para o Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina
Paulo Gonçalves depois das verificações técnicas para o Dakar 2016 em Buenos Aires, Argentina Reuters/MARCOS BRINDICCI
PÚBLICO - Paulo Gonçalves antes da sexta etapa do Rali Dakar 2016,  Argentina
Paulo Gonçalves antes da sexta etapa do Rali Dakar 2016, Argentina Reuters/POOL
PÚBLICO - Paulo Gonçalves cumprimenta Evo Morales, ex-Presidente da Bolívia, durante a sétima etapa do Dakar 2017, na Bolívia
Paulo Gonçalves cumprimenta Evo Morales, ex-Presidente da Bolívia, durante a sétima etapa do Dakar 2017, na Bolívia Reuters/HANDOUT
PÚBLICO - Paulo Gonçalves no Dakar 2017, Bolívia
Paulo Gonçalves no Dakar 2017, Bolívia EPA/DAVID FERNANDEZ
PÚBLICO -
Instagram de Paulo Gonçalves
Fotogaleria

Toby Price contou que “o primeiro helicóptero chegou” com o francês Luc Alphand, da organização, e “quando o helicóptero médico chegou já estavam a fazer manobras de reanimação”.

“Os médicos juntaram-se a eles e fizeram o que puderam. Ajudámos a segurar os sacos de soro, chegámos os sacos do equipamento médico e afastámos outros pilotos do local. Todos fizemos o que pudemos, mas não havia nada a fazer. Ainda o ajudei a levar pois era o mais correcto a fazer. Fui o primeiro a estar ao seu lado e quis ser o último a sair”, recordou o piloto australiano, que no domingo estava visivelmente abalado na chegada ao acampamento.

Price deixou ainda uma palavra de saudade para Paulo Gonçalves, dizendo ir “sentir a falta do sorriso no bivouac”.

“Os últimos 250 quilómetros foram duros, fiquei desidratado com as lágrimas. Neste momento, nem me importo com o resultado”, acrescentou.

O piloto da KTM garante que “trocava todas as vitórias para ter o companheiro de volta”. E deixou uma palavra de agradecimento a todas as mensagens recebidas de Portugal.

Lesões “graves na cabeça, pescoço e coluna” terão sido a causa da morte no domingo do piloto Paulo Gonçalves, adiantou fonte da equipa à agência Lusa.

A Hero, equipa de Paulo Gonçalves, anunciou esta segunda-feira que vai retirar-se do Rali Dakar, por os seus elementos estarem em “profundo luto” pela morte “trágica” do piloto português.

Sugerir correcção