Sérgio Conceição e o jogo da Taça: “É passar ou passar”

Privado de Pepe e Corona, treinador do FC Porto confirma ausência de Nakajima frente ao Varzim, nos quartos-de-final da prova.

Foto
Reuters/RAFAEL MARCHANTE

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, disse esta segunda-feira que a opção para o encontro com o Varzim “é passar ou passar” às meias-finais da Taça de Portugal. “Olhamos para o jogo de forma isolada, sem pensar no campeonato. É um jogo a eliminar, não há tempo para recuperar. É passar ou passar”, disse na antevisão à partida com a equipa da II Liga.

Para o encontro desta terça-feira, no Estádio do Dragão (18h), Sérgio Conceição não poderá contar com Nakajima, Pepe e Corona. “O Nakajima ficará de fora por incapacidade física. Tem um hematoma muito grande na perna”, afirmou o técnico, que teceu elogios ao adversário.

“Nas provas internas, todas as equipas têm tudo a ganhar e nada a perder connosco. Teoricamente não têm a mesma força e o mesmo historial do FC Porto. Mas temos de respeitar e ver os pontos fortes do Varzim. Talvez se apresentem com uma linha ainda mais baixa do que é normal nos nossos adversários no campeonato. Cabe-nos assumir as despesas para que o Varzim não surpreenda”, disse sobre um opositor que “nos últimos quatro meses não perdeu fora”.

“Acompanhei um pouco o início da época. Depois teve um trajecto interessante, sobretudo fora, porque é uma equipa talhada para jogar fora e temos de estar precavidos”, afirmou.

Mbemba e Diogo Leite formaram a dupla de centrais na vitória frente ao Moreirense, mas não escaparam a algumas críticas. “Corrigimos os erros, é o normal. Falei com eles no final para lhes dizer que continuava com a mesma opinião que tinha antes do jogo. Avalio o trabalho diário: depois há um dia que pode correr bem ou menos bem. Mas não muda a opinião que equipa técnica e companheiros têm deles. Estão completamente tranquilos quanto a isso”, assegurou.

Varzim sem “mudanças substanciais"

Já Paulo Alves, treinador do Varzim, reconheceu o favoritismo do FC Porto, embora acredite que pode surpreender. “Se conseguirmos limitar o grande potencial dos jogadores do FC Porto - se formos práticos e objectivos - poderemos conseguir surpreender o adversário. Claro que o favoritismo está do outro lado, mas isso tem de ser expresso dentro de campo”, disse o treinador dos poveiros.

Paulo Alves garante que não fará “mudanças substanciais na equipa”, mas reconhece que este será “um jogo com características próprias”, em que o adversário “não perdoará o mínimo erro ou desorganização do Varzim”.

“Não vamos abdicar das nossas armas. Não teremos o volume de jogo ofensivo que normalmente mostramos, mas quando pudermos queremos aproveitar, sendo objectivos e práticos, deixando uma boa imagem”, apontou o técnico.