Oito crianças e três adultos morrem em naufrágio ao largo da Turquia

Guarda Costeira turca foi alertada para “gritos” vindos do mar por volta das 20h30 de sábado.

,Imigração
Foto
Reuters/YANNIS BEHRAKIS

Oito crianças e três adultos migrantes morreram este sábado num naufrágio na costa oeste da Turquia. De acordo com a BBC, que cita a agência noticiosa estatal turca, as vítimas, cuja nacionalidade ainda não é conhecida, morreram afogadas depois de o barco afundar. Outras oito pessoas foram resgatadas das águas ao largo de Cesme, um ponto turístico na costa do Mar Egeu, em frente à ilha grega de Chios.

A Guarda Costeira turca afirmou que foi alertada para “gritos” vindos do mar por volta das 20h30 locais deste sábado (17h30 em Portugal). Cesme fica a apenas 15 quilómetros de Chios, ilha onde existem dois campos de refugiados com cerca de duas mil pessoas.

Horas antes, outro barco com migrantes afundou no mar Jónico, perto da ilha grega de Paxi, e pelo menos 12 pessoas morreram. As autoridades gregas resgataram 21 pessoas e afirmaram que estavam ainda a tentar determinar o número total de passageiros que estavam no navio.

A Turquia é um ponto de passagem frequente para pessoas que fazem trajectos longos e perigosos para fugir a conflitos como o da Síria ou o do Afeganistão, tentando chegar à Europa. O país acolhe, lembra a emissora britânica BBC, 3,6 milhões de refugiados sírios, e é o país que mais recebeu estes refugiados em todo o mundo.

Os campos de refugiados de cinco ilhas gregas perto da Turquia, que há muito têm um problema de sobrelotação, estão com uma lotação actual de 41.989 pessoas. O maior campo, Moria, na ilha de Lesbos, com lotação para 3 mil pessoas, tem actualmente mais de 18 mil pessoas.