Análise

A Europa entre dois mundos

Resta saber como conseguirá a Europa transformar a sua quase total ausência de estratégia para o Médio Oriente em capacidade para influenciar os acontecimentos.

1. Que a Europa não está preparada para o mundo que vem aí, já sabemos. É uma grande potência civil, com um peso económico ainda incontornável, que lhe dá os meios para exercer um razoável softpower. Não é uma potência militar, com uma estratégia de segurança comum para fazer valer os seus interesses num mundo que se rege cada vez mais pela lei do mais forte e cada vez menos pelo império da lei.