Administrações fiscais de Angola e Portugal a postos para trocar informações

Acordo que permite a Luanda receber informações sobre operações ligadas a Portugal ganhou efeito prático esta semana. Troca de dados começa agora.

Foto
João Lourenço tem em marcha o repatriamento coercivo de capitais de quem colocou património no estrangeiro de forma ilícita Adriano Miranda

Com dois acordos de cooperação na manga há mais de um ano, as administrações tributárias de Angola e Portugal têm estado a preparar o terreno para iniciar a troca de dados fiscais, um instrumento de cooperação que permitirá aos inspectores tributários de cada país pedir reciprocamente informações sobre uma pessoa, uma empresa ou um negócio concreto que estejam a inspeccionar.