Questões sociais

Mais rápido, mais alto, mais forte. Um calendário para homenagear os paralímpicos

Citus, Altius e Fortius”. É esse o lema de um calendário que presta tributo aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que acontecem este ano no Japão.

Fotogaleria
A edição regular tem um custo de um euro, mas também há uma edição especial de parede por 1,5€ DR
Fotogaleria
Natação sincronizada DR
Fotogaleria
Salto em comprimento DR
Fotogaleria
Ténis DR
Fotogaleria
Rugby DR
Fotogaleria
Salto com vara DR
Fotogaleria
O calendário pode ser adquirido na instituição ou encomendado pelo site DR

Fundação AFID Diferença criou um calendário que pretende captar o “espírito Olímpico e Paralímpico”, com imagens de 12 das modalidades que estarão representadas em Tóquio, entre 25 de Agosto e 6 de Setembro, entre as quais boccia, natação sincronizada, rugby, salto com vara, salto em comprimento e ténis. As fotografias são de Paulo Castanheira.

Protagonizado por clientes e colaboradores da AFID, o objectivo desta iniciativa passa por valorizar o desporto para pessoas com deficiência que, como explica o presidente do Conselho de Administração da fundação, Domingos Rosa, “foi concebido inicialmente como uma experiência clínica”, mas que actualmente “é visto de uma forma diferente, isto é, o seu alcance vai além da terapia”. “Hoje, o desporto contribui para a (re)integração da pessoas com deficiência na comunidade, assumindo o conceito de normalização.”

O lema dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos — “Citus, Altius e Fortius” — foi proposto por Pierre de Coubertin (1863-1937)​, fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna, durante a criação do Comité Olímpico Internacional, em 1894, e introduzido nos Jogos de Paris de 1924.

O calendário, de cariz solidário, está disponível na sede da instituição e através do site. A edição regular tem um custo de um euro, mas também há uma edição especial de parede por 1,50 euros.

Há um ano, a AFID lançou um calendário nos mesmos moldes em que homenageava figuras importantes da História de Portugal: de Eusébio à padeira de Aljubarrota, de Rosa Mota a Beatriz Costa, de Fernando Pessoa a Luís Vaz de Camões, sem esquecer D. Afonso Henriques, Maria de Lourdes Pintassilgo, Zeca Afonso, Florbela Espanca, António Variações ou Amália Rodrigues.

Sugerir correcção