REUTERS/Stephane Mahe

Bertrand Bonello defende que “o zombie é uma figura política”

O verdadeiro zombie não anda a comer pessoas pelas esquinas: no Haiti, é um ser enfeitiçado que vive num limbo entre a vida e a morte. Ponto de partida para a nova longa do francês Bertrand Bonello, A Criança Zombie, um falso filme de género que fala na verdade dos tempos que correm.

Bertrand Bonello não é parvo e sabia no que se estava a meter quando decidiu chamar ao seu novo filme A Criança Zombie, correndo o risco de desiludir aqueles que entram na sala à espera de um filme de terror. “Tenho consciência que, quando chamo a um filme A Criança Zombie, as pessoas chegam com uma ideia pré-concebida do zombie... Ora a minha história não joga com essa ideia. O meu ponto de partida era uma imagem muito simples: o zombie haitiano como homem só que caminha pela terra.”