Metade das crianças em acolhimento tem problemas de saúde mental

Situações de deficiência mental ou debilidade identificadas em crianças institucionalizadas poderão ter causas enraizadas na negligência e nos maus tratos severos. Relatório de 2018 sobre o acolhimento de crianças e jovens retirados às famílias chegou ontem à Assembleia.

Foto
Nuno Ferreira Santos

O número de crianças a viver em instituições continua a tendência para uma descida iniciada há dez anos, quando cerca de 9500 crianças e jovens estavam acolhidas em residências. Em 2017, estavam 7553. E em 2018, eram 7032 a viver em situação de acolhimento, depois de uma retirada da casa dos pais ou de outros familiares.