Morreu Fausta, o rinoceronte mais velho do mundo

Tinha 57 anos e pertencia a uma espécie em vias de extinção.

Rinoceronte
Foto
Fausta tinha 57 anos Reuters

Morreu o rinoceronte que se acreditava ser o mais velho do mundo, com 57 anos. Fausta, uma fêmea de rinoceronte-negro, que são oriundos do leste, sul e centro da África, foi vista pela primeira vez na cratera de Ngorongoro, na Tanzânia, em 1965, quando tinha três anos.

Conta a BBC que Fausta andou livremente pela cratera durante 54 anos, até a idade e problemas de saúde terem levado os conservadores a levá-la para um santuário. Os especialistas dizem que não ter tido crias pode ter contribuído para a sua longevidade.

O animal sofria dos olhos e das mazelas deixadas por um ataque de hienas.

Freddy Manongi, da Autoridade de Conservação de Ngorongoro, disse num comunicado sobre a morte de Fausta que morreu de causas naturais, no dia 27 de Dezembro. 

Os rinocerontes selvagens vivem entre 37 e 43 anos em média. Alguns dos que estão em cativeiro chegam aos 50 anos.

O rinoceronte-negro está na lista dos animais em risco de extinção. São caçados para lhes ser retirado o corno. 

Sugerir correcção