Pontapeou e asfixiou namorada mas juiz diz que foi sem intenção e ilibou-o

Lapso de escrita leva magistrado a absolver arguido. Juízes da Relação dizem que sentença é incompreensível e mandam repetir julgamento.

Foto
PÚBLICO/ARQUIVO

Um lapso de escrita levou aparentemente um juiz dos Açores a ilibar um homem que agrediu a namorada. Em vez de corrigir um engano relacionado com a troca do nome da queixosa, que era patente, o magistrado resolveu absolver o arguido. O julgamento terá agora de ser repetido, depois de o Tribunal da Relação de Lisboa ter tecido duras críticas à actuação do juiz.